Vietname ainda combate efeitos do «agente laranja»

Mais de 40 anos depois de concluída a guerra, o Vietname continua empenhado no combate às sequelas da dioxina, um poderoso desfoliante lançado pela aviação estado-unidense sobre grande parte do território vietnamita.

Efectuou-se há dias em Hanói uma conferência internacional sobre o tema, no quadro dos esforços para aliviar os males que originou essa substância, também chamada «agente laranja» pela cor dos bidões de plástico que a continham.

A dioxina e outros produtos químicos tóxicos continuam a afectar a saúde dos vietnamitas e o meio ambiente, prejudicam a economia nacional e colocam sérios desafios ao desenvolvimento do país, afirmou o vice-ministro da defesa, Nguyen Chi Vinh.

Entre 1961 e 1971 a aviação dos EUA largou uns 80 milhões de litros de herbicidas sobre mais de dois milhões e meio de hectares, principalmente na parte Sul do país. Mais de metade dessas substâncias eram dioxina, que também contaminou os aeroportos e bases militares onde as tropas invasoras a armazenavam.

Além dos milhões de pessoas que morreram ou sofreram graves enfermidades devido à exposição directa do «agente laranja», no Vietname nasceram mais de meio milhão de crianças com defeitos congénitos que ainda se transmitem de geração em geração.

A Guerra do Vietname foi a maior guerra química e a de consequências mais destrutivas na história da Humanidade.

Os Estados Unidos nunca pediram desculpas ao Vietname.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: