Atendimento reduzido nos postos da GNR suspenso em Alvalade e Ermidas-Sado

Depois do anúncio de concentrações de protesto e de um pedido de reunião com carácter de urgência por parte do presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, o Governo suspendeu, no dia 21 de Dezembro, a passagem dos postos da GNR de Alvalade e Ermidas-Sado a posto de atendimento reduzido, ou seja, com funcionamento entre as 9 e as 17 horas, e apenas com um efectivo.

A Álvaro Beijinha, presidente da autarquia, foi dado a conhecer, pelo chefe de gabinete do ministro da Administração Interna, que «a medida não irá para a frente no imediato», podendo vir a colocar-se no futuro.

«O Governo reconheceu que a medida tinha sido tomada sem uma discussão prévia com a Câmara Municipal e as juntas de freguesia. O reconhecimento do erro é sempre bom quando tomado a tempo», salientou o eleito da CDU, acrescentando: «Nós, autarquias e população, ganhamos uma batalha, mas não ganhamos a guerra. As pessoas devem manter-se alerta e a Câmara vai continuar a acompanhar este processo de uma forma muito presente.»

Foi ainda transmitido a Álvaro Beijinha que a secretária de Estado vai agendar uma reunião com a Câmara Municipal para discutir este assunto. «Espero que o resultado dessa reunião não seja voltar a colocar em cima da mesa esta medida agora suspensa, mas sim o reforço de efectivos da GNR nas duas freguesias, para que os postos funcionem de uma forma normal, o que não se verifica actualmente», antecipou o autarca.

Recorde-se que em 2104 esta questão já tinha sido discutida entre a Câmara Municipal de Santiago do Cacém, as juntas de freguesia e o Governo, durante a qual as autarquias sempre reivindicaram o reforço efectivo de guardas nos dois postos de Alvalade e Ermidas-Sado.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: