Não desistimos no passado, não desistiremos hoje nem amanhã
Alternativa patriótica e de esquerda sintetizada em livro para divulgação

APRESENTAÇÃO «Aqueles que procuram uma resposta alternativa para a solução dos graves problemas que o País enfrenta», como sublinhou Jerónimo de Sousa, encontram-na sistematizada numa edição da «Avante!», apresentada anteontem.

A sessão de lançamento do livro, realizada na terça-feira 29 numa unidade hoteleira em Lisboa, ocorreu cerca de dois meses depois da Conferência Nacional promovida pelo PCP sob o lema «Alternativa patriótica e de esquerda. Por um Portugal com futuro!». Consigna que, de resto, é o título da obra agora disponível a preço popular para ampla divulgação.

Sobre a oportunidade da novidade dada à estampa e do seu conteúdo, falou na iniciativaFrancisco Melo, director da Editorial «Avante!» e membro do Comité Central do PCP, referindo que «na consideração da divulgação das contribuições da Conferência, surgiu a ideia de que a melhor forma de o fazer seria a da sua integração num documento único, estruturado de modo não só a facilitar a sua leitura, mas também a melhor apreender na sua globalidade as propostas e soluções constitutivas da política patriótica e de esquerda, sem as quais o PCP considera não ser possível dar resposta aos problemas nacionais e elevar as condições de vida e de trabalho dos portugueses».

«O presente livro constitui a concretização dessa intenção, que requereu algumas necessárias adaptações das intervenções de modo a que cada uma correspondesse a um subtítulo dos capítulos em que foi estruturado o documento integrado», explicitou ainda.

O livro divide-se em três secções – o quadro nacional e internacional, análises e perspectivas sectoriais, uma exigência nacional –, nas quais se incluem todas as 29 intervenções proferidas a 24 de Novembro de 2018 no Fórum Luísa Todi, em Setúbal, mais o discurso de encerramento proferido pelo Secretário-geral do PCP, que é o capítulo final. O nome dos autores das intervenções é registado na Nota da Editora na abertura do livro.

Não desistimos

Ao intervir na sessão de lançamento, também Jerónimo de Sousa abordou a importância de disponibilizar os contributos levados à Conferência Nacional e que teve o mérito de «actualizar, ampliar e consolidar o vasto trabalho e património de análise sobre a realidade nacional, as causas do desastre a que o País foi conduzido pela política de direita e a sistematização das principais propostas apresentadas aos portugueses pelo PCP, para lhe responder». Desde logo colocando o acento tónico na ocultação da iniciativa pelos média corporativos.

«A generalidade da comunicação social esteve ausente. Os canais de informação, públicos e privados, apagaram-na do espectro noticioso. Foi como se não tivesse acontecido. Facto que só por si justificaria a publicação do Livro que hoje aqui apresentamos, se outras razões não houvesse, e há, nomeadamente a de fazer chegar aos portugueses análises e propostas que fundamentam e sustentam a existência de uma alternativa capaz de dar um outro rumo à governação do País», disse.

No entanto, avisou o dirigente comunista, «o PCP não desiste facilmente do que considera ser um seu dever político: informar os portugueses do que pensa da situação do País, do que quer para o futuro deste País, do que propõe no presente para responder a problemas e estrangulamentos que inviabilizam o seu desenvolvimento e dificultam, atrapalham, amarguram a vida de milhares de portugueses».

«Não desistimos no passado, não desistiremos hoje nem amanhã, face a nevoeiros espessos de silenciamento e ocultação da nossa actividade, tal como a manobras de diversão e campanhas de anticomunismo calculadamente desenvolvidas e promovidas não só pelos sectores políticos e económicos mais conservadores e reaccionários, mas também por outros que há muito tomaram o partido dos grandes interesses económicos e financeiros monopolistas, e que visam calar ou desfigurar o PCP como Partido da democracia e liberdade, como Partido de homens e mulheres inteiros e íntegros, guiados na sua militância e luta pelo bem-estar do povo a que pertencem, pelo desenvolvimento do seu País, pela paz e cooperação entre os povos do mundo», acrescentou.

Batalha das ideias

Tais diligências, precisou o Secretário-geral do Partido, «visam alimentar a tese de que não há alternativa à política de direita prosseguida por sucessivas governações de PS, PSD e CDS; que hoje os eixos centrais dessa política são irrecusáveis axiomas das sociedades e dos Estados, são imposições «naturais» do mundo e da natureza humana; que não há outra política fora dessa política com que massacram os povos e os Estados; que não há vida fora da União Europeia e do Euro, que não há mundo fora do mundo de exploração e desigualdade do grande capital multinacional e financeiro, do comando imperialista dos EUA, das ordens do Banco Mundial e do FMI».

«Silenciamentos, manobras e campanhas que assumem uma particular dimensão num momento de profunda crise na Europa e no mundo», sublinhou igualmente Jerónimo de Sousa, que centrando o discurso em «três elementos na base das propostas da política alternativa presente no livro», os quais «são uma marca de ruptura face a outras orientações e partidos» e de inegável centralidade «em qualquer levantamento das respostas que o País precisa», concluiu que «no livro, pela diversidade dos sectores abordados, encontrarão todos os seus leitores motivos de reflexão e enriquecimento pessoal, particularmente aqueles que procuram uma resposta alternativa para a solução dos graves problemas que o País enfrenta».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: