Deputados do PCP no PE denunciam acordo económico entre UE e Japão

Os deputados do PCP no Parlamento Europeu denunciaram mais uma vez o conteúdo e os objectivos do Acordo de Parceria Económica entre União Europeia e Japão, que entrou em vigor a 1 de Fevereiro.

A denúncia é justificada pelo que o acordo significa «de reforço de políticas de cariz agressivo, securitário, explorador e neoliberal bem como pelas suas consequências na acrescida fragilização do aparelho produtivo nacional e na pressão para um nivelamento por baixo de direitos sociais e laborais, padrões ambientais e normas de saúde e segurança alimentares», segundo uma nota, do dia 1, do Gabinete de Imprensa dos deputados comunistas portugueses no PE.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2017 o valor das importações foi mais do dobro das exportações, tendo este défice na taxa de cobertura das importações pelas exportações registado um aumento tendencial significativo ao longo dos últimos anos. «Tal realidade constitui um factor de acrescida preocupação relativamente aos impactos deste acordo para Portugal», destaca a nota.

O PCP reitera a sua posição de que «este acordo deve ser sujeito a ratificação por parte dos parlamentos nacionais» e exige da parte do governo português «uma postura firme de defesa do interesse nacional, recusando o afastamento das instituições portuguesas de decisões com um grande impacto na economia e em outras dimensões da soberania nacional».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: