“Esta é uma decisão que está a ser tomada pela Assembleia da República, órgão de soberania, consagrando a necessidade de avançar nos estudos com vista à expansão prioritária [do Metropolitano] para o concelho de Loures. É isto que diz a resolução consensualizada.”

(Bernardino Soares, TSF, 19.7.19)

“A fotografia do mundo que recebemos do jornalismo é necessariamente mais negativa do que a realidade. Todos sabemos que há a ideia no jornalismo de que as más notícias vendem (…).”

(Steven Pinker, Público, 19.719)

“Floresta esta [Amazónia] que não é desmatada apenas por brasileiros, mas sobretudo por grandes companhias estrangeiras que passaram a contar com inúmeras perigosas regalias nesse novo e lamentável Brasil.”

(Ruth Manus, Observador, 20.7.19)

“Se perdermos a nossa privacidade, a nossa autonomia e o direito inalienável de termos a nossa vida sem que a polícia tenha de a conhecer, estaremos a cair em erros trágicos do passado.”

(Manuel Carvalho, Público, 21.7.19)

“O Holocausto é, ainda hoje, aquilo que a humanidade não consegue entender. (…) Produzido pela potência mais desenvolvida e mais rica da Europa.”

(Teresa de Sousa, Público, 21.7.19)

“O que está a acontecer hoje [na Palestina] é o deslocamento em massa de pessoas (…).”

(Ali al-Obeidi, activista palestiniano,
i, 23.7.19)

“Eles [ocupantes israelitas] têm estado a expulsar as pessoas dos seus lares à força e começaram a colocar explosivos nos edifícios que querem destruir.”

(Hamada Hamada, activista palestiniano,
ibidem)

“No atual contexto, para um eleitor verdadeiramente de esquerda, coloca-se a questão da utilidade do seu voto para que o país continue a andar para a frente ou para que se perca aquilo que foi alcançado nos últimos quatro anos.”

(Rui Sá, Jornal de Notícias, 23.7.19)