No actual quadro, mais importante se torna o progresso da China
PCP saúda 70.º aniversário da República Popular da China

MARCO A vitória da revolução na China ampliou o campo das forças anti-imperialistas e constituiu um novo e importante estímulo à luta libertadora dos trabalhadores e dos povos, considera o PCP.

Por ocasião do 70.º aniversário da vitória da revolução chinesa e da proclamação da República Popular da China, o Comité Central do Partido Comunista Português endereçou uma mensagem de felicitações ao Comité Central do Partido Comunista da China (PCC) e, por seu intermédio, aos comunistas e ao povo chineses.

Na mensagem, o PCP considera que 1 de Outubro de 1949, data da proclamação da República Popular da China, marca um dos mais importantes acontecimentos revolucionários do Século XX, «a longa e heróica luta dos comunistas chineses para pôr fim ao sistema feudal e semi-colonial, que mergulhara a China num século de atraso e humilhação, libertar a sua pátria do invasor japonês e empreender profundas transformações revolucionárias no caminho do socialismo».

O PCP salienta que, «na sequência da vitória sobre o nazi-fascismo e sobre o militarismo japonês na Segunda Guerra Mundial e do triunfo, na Europa e na Ásia, de outras revoluções que apontaram o caminho do socialismo, a vitória da revolução chinesa ampliou o campo das forças anti-imperialistas, do progresso social e da paz e constituiu um novo e importante estímulo à luta libertadora dos trabalhadores e dos povos de todo o mundo».

Tendo presente que «o caminho desde então percorrido pela República Popular da China (RPC), naturalmente, não esteve isento de problemas, dificuldades e perigos», o PCP valoriza «os êxitos alcançados na luta para vencer o atraso herdado do velho regime, o avanço na resposta aos mais agudos problemas sociais das massas, a começar pela liquidação da pobreza extrema, a transformação da China num país com uma indústria e uma ciência avançadas», salientando que estas realizações «comprovam a validade de um desenvolvimento centrado na resposta às necessidades e interesses do povo, com o papel determinante da propriedade social, sob a direcção do Partido Comunista».

O PCP deseja «os melhores êxitos nas tarefas que o Partido e o Estado chinês se colocam, no caminho de uma sociedade socialista, nomeadamente, a concretização dos importantes objectivos estabelecidos pelo XIX Congresso do PCC e, particularmente, dos que se propõem alcançar por ocasião do centenário da fundação do PCC, em 2021, e do centenário da RPC, em 2049».

O PCP considera que «o triunfo do socialismo na China é do interesse, não apenas dos comunistas, dos trabalhadores e do povo chinês, mas também dos comunistas, dos trabalhadores e dos povos de todo o mundo» e que «a multifacetada política do imperialismo visando dificultar o desenvolvimento da República Popular da China – de que é parte integrante a guerra económica e tecnológica desencadeada pelos EUA contra a China – só pode merecer a condenação e a oposição das forças do progresso social, da soberania e da paz».

O PCP salienta que «numa situação internacional instável, incerta e perigosa, em que, no quadro do aprofundamento da crise estrutural do capitalismo, o imperialismo norte-americano e os seus aliados da NATO e da União Europeia intensificam a exploração, multiplicam as operações de ingerência e agressão por todo o mundo, alimentam a extrema-direita e o fascismo, e desenvolvem uma corrida aos armamentos que põe em perigo a segurança e a paz mundial, mais importante se torna o progresso da China no seu desenvolvimento interno e o seu papel no plano internacional em prol de relações económicas e políticas mais equitativas e mais justas e em defesa da paz».

Mensagem de Jerónimo de Sousa

O Secretário-geral do PCP, numa mensagem a Xi Jinping, Secretário-geral do Partido Comunista da China e Presidente da República Popular da China, transmitiu as felicitações por ocasião do 70.º aniversário da proclamação da RPC.

Na mensagem, Jerónimo de Sousa refere que «perante a ofensiva exploradora e agressiva do imperialismo, o avanço do desenvolvimento económico e da melhoria das condições de vida e bem-estar dos trabalhadores e povo chinês – superando desafios, problemas e contradições – no caminho da edificação de uma sociedade socialista, assim como o papel da China no plano internacional, em prol do desenvolvimento de relações económicas mais justas e mutuamente vantajosas, do respeito pela soberania, em defesa da paz, constituem um tão mais importante e significativo contributo para a causa do progresso e da emancipação dos povos por todo o mundo».

Por fim, Jerónimo de Sousa expressa o desejo de «fortalecer as relações de amizade e cooperação entre os nossos dois partidos, no interesse dos respectivos povos e países».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: