Líderes da União Europeia e da China debateram relações económicas
União Europeia e China decidem acelerar acordo sobre investimentos

AVANÇOS Xi Jiping, Angela Merkel e os presidentes do Conselho Europeu e da Comissão Europeia reuniram-se por videoconferência. Registaram-se avanços nas relações comerciais e económicas entre os dois espaços.

Os líderes da União Europeia e da China concordaram em acelerar e completar este ano um tratado bilateral de investimentos que analisam desde 2014, para garantir igual acesso e apoio às empresas com negócios nos dois espaços.

A decisão saiu de uma cimeira, em formato de videoconferência, na segunda-feira, 14, entre o presidente da China, Xi Jiping, a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e os presidentes do Conselho Europeu, Charles Michel – que representava os chefes dos Estados membros – e da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

O acordo permitirá aos investidores de ambas as partes um maior acesso aos respectivos mercados, com mais protecção dos seus negócios e produtos, respeito da propriedade intelectual e cumprimento das leis internacionais de comércio.

Por outro lado, os dirigentes europeus e chinês comprometeram-se a incrementar os diálogos de alto nível sobre os problemas ligados ao meio ambiente, mudanças climáticas e ciberespaço.

No contexto da reunião, foi anunciada a assinatura de um acordo para proteger alimentos e bebidas exportados para a China com 100 indicações geográficas e denominações de origem europeias. O mesmo sucederá com 100 produtos do país asiático comercializados com os estados da União Europeia. Este acordo deverá entrar em vigor em princípios de 2021 e quatro anos depois está previsto o seu alargamento de modo a incluir mais 175 produtos de cada uma das partes.

Durante o encontro por videoconferência desta semana, Xi Jinping advogou a coexistência pacífica, mais cooperação, o apego ao multilateralismo e ao diálogo como sendo a melhor ferramenta face a qualquer diferença. Apelou também à União Europeia a trabalhar juntamente com a China pelo contínuo desenvolvimento dos laços e da associação estratégica integral, especialmente no momento de grandes mudanças e desafios a nível internacional. A China espera que este encontro cimeiro ajude a fomentar a confiança mútua, incrementar a cooperação e impulsionar o comércio livre.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: