Hotel Reid’s deu sinal alarmante

O Hotel Reid’s, emblemática unidade turística da Madeira, desencadeou no início deste mês um despedimento colectivo que suscitou pronta reacção do PCP, que no dia 3 considerou ser este «um alarmante sinal do agravamento da situação económica e social», e dos trabalhadores, organizados no Sindicato da Hotelaria.

O objectivo patronal será despedir todos os 210 trabalhadores, para vender o hotel sem pessoal, como ontem explicou ao Avante! o coordenador regional do Partido. Edgar Silva observou que a pressão política e o plenário de trabalhadores, realizado dia 8, trouxeram a lume argumentos fortes quanto à ilegalidade do despedimento, quer por a empresa ter recorrido ao lay-off «simplificado», quer por ter recebido outros dinheiros públicos, também com compromisso de salvaguardar o emprego.

Nestas circunstâncias, a administração decidiu chamar os trabalhadores, um a um, procurando aliciá-los para rescindirem os contratos, exercendo uma chantagem brutal.

No Parlamento regional, o PCP apresentou na terça-feira um projecto de resolução, sobre o Reid’s e outros casos, para defesa dos postos de trabalho na hotelaria.

Os trabalhadores deste e de outros hotéis deverão integrar a acção de luta nacional da CGTP-IN, que no Funchal decorre no dia 25, sexta-feira, junto à Assembleia Legislativa Regional, integrando a defesa do emprego nos objectivos mais gerais da jornada.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: