Assim é a Festa

Image 5292

 

Compra já a tua EP

Vem construir a Festa

 A Festa do Avante! é construída pelo trabalho voluntário de milhares de comunistas e amigos que dão, nas suas horas vagas, o melhor das suas energias e capacidades para erguer esta cidade de três dias. A participação nas jornadas de trabalho, e a compra antecipada da EP (entrada permanente), são a mais forte demonstração de solidariedade para com a Festa do Avante! E com os que a organizam e constroem.

Até ao dia 2 de Setembro, a EP custa apenas 19,50 euros e nos dias da Festa 29 euros. Compra já a tua EP e poupa 9,50 euros.

 

Ir, ficar e voltar

 É cada vez mais fácil ir e voltar da Festa do Avante!. Os transportes públicos têm horários alargados, de forma a melhor servir os visitantes, que podem usufruir, quer se dirijam do Norte ou do Sul, do comboio, partindo de Setúbal ou de Lisboa, utilizando a Fertagus, estando asseguradas ligações rodoviárias gratuitas com a Quinta da Atalaia.

Autocarros há a partir de Cacilhas ou do Seixal, com ligação aos barcos, ou da Baixa da Banheira. As pessoas com deficiência terão à sua disposição um transporte especial. O automóvel também é opção, havendo parques de estacionamento gratuitos e ligações ferroviárias gratuitas para o recinto da Festa.

Há ainda parques de campismo no exterior do recinto de lotação limitada.

 

Espaço central

Ao encontro do Partido que constrói a Festa

 A intervenção, a luta e o projecto do PCP marcam os debates, as exposições e a vida do Espaço Central na Festa do Avante!. Este ano, o destaque vai para duas grandes exposições: uma relativa aos 120 anos do 1.º de Maio; a outra intitulada Portugal a produzir, que se debruçam respectivamente sobre a actualidade da luta dos trabalhadores e a exigência da produção nacional como resposta aos problemas do País.

Em dezenas de debates realizados nos três espaços do Espaço Central passarão algumas das questões que marcam a actualidade no País e no mundo – da crise do capitalismo e a alternativa à obra de Álvaro Cunhal, O Partido com paredes de Vidro, passando pela ofensiva do Governo e as propostas do PCP; a cimeira da Nato e, claro, o significado actual da comemoração do 1.º de Maio. Será também possível tomar uma vez mais contacto com a intervenção do PCP no espaço virtual, com a rádio Comunic ou o sítio do Partido na Internet; e com a imprensa do Partido, o Avante! e O Militante.

O escritor comunista José Saramago, o único prémio Nobel da Literatura de língua portuguesa, recentemente desaparecido, não será esquecido neste que é o espaço nobre da Festa do Avante!. O cinema continuará a marcar presença na festa, este ano com as mais recentes obras do cinema documental e de animação produzido no nosso País, como são os casos de Paredes Meias, 48, Ruínas ou Pare, escute e olhe.

 

Biodiversidade em destaque

 O Espaço Ciência na Festa do Avante! tem como tema central a biodiversidade, precisamente no ano em que se assinala, ao nível internacional, a importância da preservação da variedade de espécies, genes e ecossistemas que constituem a vida na terra.

Mais do que uma comemoração, no Espaço Ciência (situado junto ao lago) os visitantes poderão encontrar explicações sobre o que é a biodiversidade e conselhos úteis para contribuir para a sua conservação; filmes e debates sobre a matéria; as propostas do PCP e o seu projecto de transformação social.

Uma das exposições daquele espaço recordará os dez anos de Ciência na Festa do Avante!. Os mais pequenos têm na área criança jogos e brincadeiras didácticas.

 

Uma fantástica livraria

Num ano em que se assinalam múltiplos aniversários, a Festa do Livro apresenta várias novidades, que vão de lançamentos e reedições às atractivas promoções. Visando assinalar os 120 anos do 1.º de Maio, merece especial destaque a antologia de poesia Maio, Trabalho, Luta dada à estampa no passado mês de Maio. Nos 40 anos da CGTP-IN são lançadas obras de grande interesse: uma nova edição da antologia O PCP e a Luta Sindical e o livro de Américo Nunes Sindicalismo na Revolução de Abril. Memórias.

Numa cuidada edição que conta com ilustrações originais de José Santa-Bárbara, as Edições Avante! reeditam a obra de Ferreira de Castro A Curva da Estrada. As Voltas que o Mundo Dá…Reflexões a propósito das aventuras e desventuras do Estado Social é o título de um ensaio de António Avelãs Nunes a lançar na Festa, assim como Os Avanços Revolucionários na América Latina, de Rémy Herrera. José Barata-Moura, nos 140 anos do nascimento de Lénine, dá-nos a conhecer o seu mais recente trabalho intitulado Sobre Lénine e a Filosofia. A reivindicação de uma ontologia materialista dialéctica com projecto. Estão previstas várias sessões de lançamento.

 

Desporto para todos

Nos dias 3, 4 e 5 de Setembro, milhares de atletas vão participar, na Quinta da Atalaia, em vários torneios e exibições de andebol, futsal, basquetebol, ginástica, aeróbica, artes marciais, yoga, tiro com chumbo, de damas, xadrez, dominó, mah-jong, basquetebol 3x3 e de voleibol, boccia, boxe e kickboxing, triatlo, chinquilho, matraquilhos e outros jogos tradicionais, para além de saraus de ginástica, patinagem artística e danças de salão e de hip-hop. Nos desportos radicais, destacam-se o slide, o paraquedismo e a parede de escalar.

Prosseguindo o êxito das edições anteriores, no domingo, dia 5 de Setembro, terá lugar a Corrida da Festa, uma prova aberta a participantes de ambos os sexos, com inscrição gratuita. Entretanto, já se disputaram ou vão ainda ter lugar, no âmbito da promoção da Festa, várias iniciativas, de diversas modalidades. No dia 19 de Agosto, acontece um «Passeio de Cicloturismo», que percorrerá os concelhos de Almada, Sesimbra e Barreiro.

 

Todos por uma vida melhor

«Com o PCP. Lutar contra as injustiças e discriminações. Pela igualdade na lei e na vida» é o lema do Pavilhão da Mulher, que se associa à valorização da comemoração do 8 de Março em todo o País, bem como à luta travada pelas mulheres ao longo de 2010. Neste espaço serão ainda realizados vários debates e haverá diversos momentos de animação cultural.

No Pavilhão da Imigração, que de ano para ano ganha mais adeptos, existirá, de igual forma, muita alegria, convívio fraterno e boa gastronomia. A exposição política tratará os problemas dos imigrantes, a sua luta contra as injustiças e desigualdades sociais, assim como a importância das propostas do PCP para uma vida melhor.

Também no Pavilhão da Emigração espera-se, como tem acontecido nos anos anteriores, uma presença expressiva de emigrantes provenientes de vários países, designadamente da Europa, um convívio fraternal levado a cabo por militantes e simpatizantes do PCP.

No Espaço da Criança, onde a brincadeira é uma festa, os Pioneiros de Portugal vão assegurar ateliers, com pinturas de cara, e muitas guloseimas com bebidas e lanches para os mais novos visitantes.

 

A arte de desenhar

O espaço das Artes Plásticas na edição deste ano da Festa do Avante! será dedicado ao desenho. Os trabalhos apresentados resultam de uma selecção da colecção da Galeria de Desenho do Museu Municipal de Estremoz – Prof. Joaquim Vermelho, nascido da acção de uma comissão composta por talentosos artistas. A mostra provará como um simples risco pode transmitir a clareza de uma ideia.

 

O Portugal que resiste e luta

Durante três dias, a Festa do Avante! alberga o Portugal que sofre as desastrosas consequências da política de direita, como o desemprego e a precariedade, a pobreza e a exclusão, o encerramento de escolas e serviços de saúde... Mas ali estará, sobretudo, o Portugal que resiste e luta contra pela ruptura e pela mudança.

Nos pavilhões das organizações regionais do Partido estarão os principais problemas com que se deparam os trabalhadores e as populações, mas também as suas lutas, as suas exigências e reivindicações. E, claro, os seus sons e sabores. O convívio é garantido.

 

Um grande palco

O Avanteatro assume-se, uma vez mais, como um local privilegiado para assistir a espectáculos de reconhecida qualidade e variedade – do teatro à dança, da música ao cinema documental. No Ano Europeu de Luta Contra a Pobreza e a Exclusão Social (que não passou de belas palavras) o Avanteatro leva à cena peças que abordam vários aspectos desta realidade, como Tuning, Saguão e VOID.

As crianças terão uma vez mais espectáculos a si dedicados, nas manhãs de sábado e domingo, com marionetas e, pela primeira vez, dança. As três noites serão de festa, com O Menino é Lindo, Os Roncos do Diabo ou Melech Mechaya. Mário Barradas – actor, encenador e grande figura do teatro nacional –, que faleceu no final do ano passado, será evocado naquele espaço. Membro do PCP, dedicou toda a sua vida ao teatro e à descentralização cultural e lutou, até ao último dia da sua vida, por um Portugal democrático e socialista.

 

Paz, solidariedade e amizade sem fronteiras

No ano em que se assinalam os 65 anos da vitória sobre o nazi-Fascismo, o Espaço Internacional abordará o tema PCP em luta pela paz, contra o militarismo e a NATO, dando particular destaque à acção que conjuntamente com inúmeras organizações o PCP está a desenvolver contra a NATO e a sua cimeira, que se realizará em Portugal em Novembro. Ao visitar as dezenas de stands de partidos comunistas e progressistas presentes no Espaço Internacional, os visitantes poderão conhecer as intensas lutas que os trabalhadores, os povos e os partidos comunistas e progressistas travam em cada um dos seus países.

A luta pela paz, as questões energéticas e ambientais, a crise do capitalismo e a luta dos trabalhadores, os processos progressistas e revolucionários em curso na América Latina serão alvo de descontraídos mas importantes debates com a participação de convidados estrangeiros e nacionais. Mais uma vez o Palco da Solidariedade, localizado na praça central do Espaço Internacional, afirmar-se-á com uma maratona cultural de três dias e os restaurantes e bares de dezenas de países e a venda de artesanato lá estarão estimulando os sentidos, o convívio e a alegria dos visitantes fazendo do Espaço Internacional a cidade mundo da fraternidade, da solidariedade e da amizade sem fronteiras!

 

Prosseguir a luta pelos sonhos da juventude

A Cidade da Juventude é um espaço privilegiado de encontro dos jovens que visitam a Festa do Avante!. Este ano, ficará uma vez mais vincada a luta dos jovens pelos seus direitos, patente na exposição política e nos debates que aí se realizam mas também no ambiente solidário e fraterno que caracteriza os jovens comunistas.

Ali o entretenimento é garantido, também como forma de afirmação do acesso à cultura e à sua fruição como um direito de todos, proporcionando actuações variadas, de grupos de teatro e dança, de DJ e tunas ou pinturas de grafitti no Palco Multiusos. Pelo Palco Novos Valores passarão as bandas vencedoras dos concursos de bandas organizados pela JCP que, de Norte a Sul do País, dão oportunidade e visibilidade à música que se faz em Portugal.

Este ano, a Cidade da Juventude conta ainda com um espaço dedicado ao 17.º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, que se realiza em Dezembro na África do Sul, e que será uma grande iniciativa de afirmação do anti-imperialismo, da paz e da solidariedade internacionalista.

A afirmação da JCP na Festa não se fica pelo seu espaço. Por toda a Quinta da Atalaia andarão brigadas de jovens comunistas a vender o seu jornal, o Agit, e contactando os visitantes nas já célebres brigadas de contacto. O desfile da JCP para o comício de domingo será, uma vez mais, uma poderosa afirmação de força e determinação em prosseguir a difícil mas exaltante luta pela realização dos sonhos e aspirações da juventude.

 

Comício e abertura

Hora de reforçar para a luta

Os comícios de abertura, sexta-feira, às 19h00, na Praça de Paz, no qual intervirá o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, e de encerramento, domingo, às 18h00, no Palco 25 de Abril, no qual vão usar da palavra Diogo D'Ávila, do Secretariado e da Comissão Política da JCP, José Casanova, director do órgão central do PCP, e Jerónimo de Sousa, vão ser, mais uma vez, momentos altos da Festa do Avante!.

Oportunidades para saudar o grande colectivo partidário que construiu voluntariamente a Festa ao mesmo tempo que reforçava o Partido assumindo a primeira fila na luta contra a política de direita, as iniciativas serão igualmente aproveitadas para redobrar o apelo à mobilização dos comunistas, dos trabalhadores e de todos os sectores atingidos pela ofensiva do Governo ao serviço do patronato. A hora é de reforçar o PCP nas grandes e pequenas batalhas, nas acções de massas que trazem para a rua milhares e milhares de pessoas, mas também nos combates que se travam por questões concretas nos locais de residência, nas empresas e locais de trabalho, expressões da luta de classes que quotidianamente se trava.

No comício de encerramento, estarão igualmente no Palco 25 de Abril as delegações de partidos comunistas que, nos seus países, desbravam o caminho que conduz a um mundo mais justo e fraterno, onde não caiba a exploração do homem pelo homem, uma terra sem amos, o socialismo e o comunismo.

 Nota:

Tudo sobre a Festa em www.pcp.pt e no Avante!, todas as quintas-feiras nas bancas



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: