Corte de ligações fluviais no Tejo
Retrocesso inaceitável

Image 9541

Jerónimo de Sousa fez a travessia fluvial entre o Seixal e o Cais do Sodré, na terça-feira de manhã, depois de ter contactado com os utentes daquele serviço de transporte no cais da margem Sul. O Secretário-geral do PCP, que se fez acompanhar de dirigentes e deputados comunistas, realçou que as supressões nestas carreiras e o aumento do preço dos transportes públicos, na situação actual de agravamento das condições de vida e de aumento generalizado dos preços, significam um «retrocesso inaceitável contra esta população laboriosa».

O chamado Plano Estratégico de Transportes aponta várias hipóteses para o futuro da ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa, que podem ir da brutal redução de carreiras à pura e simples supressão desta ligação. Em risco estão também ligações entre Cacilhas e Cais do Sodré, Trafaria e Cais do Sodré, e Barreiro e Terreiro do Paço. Os comunistas contestam qualquer uma das soluções e os utentes já se fizeram ouvir contra elas.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: