Breves
Feira do livro

Salários em atraso nas livrarias Bulhosa, integradas no Grupo Civilização, e nas Publicações Europa-América foram denunciados na tarde de 24 de Abril, na abertura da Feira do Livro de Lisboa, por trabalhadores daquelas empresas e dirigentes sindicais do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, que distribuíram folhetos aos visitantes do certame. Segundo o CESP/CGTP-IN, a Europa-América deve três salários, subsídio de férias, subsídio de Natal e férias não gozadas, mas suporta o custo de cinco pavilhões, agindo como se tudo estivesse bem. Na rede Bulhosa há trabalhadores que ainda não receberam Fevereiro e a nenhum foi pago o salário de Março, revelou o sindicato horas antes do protesto. O sindicato, com representantes de trabalhadores de outras empresas, dirigiu ainda a acção de dia 24 contra a APEL (Associação Portuguesa de Editores e Livreiros), porque esta não actualiza os salários contratuais desde 2005.


Águeda

Cavaco Silva foi recebido com apupos, palavras de ordem, tarjas e cartazes, por meia centena de manifestantes junto à Câmara Municipal de Águeda, na sexta-feira, quando ali chegou no âmbito de uma visita a concelhos do distrito de Aveiro. Os objectivos desta manifestação, convocada pela União de Sindicatos de Aveiro, da CGTP-IN, estavam expressos em mensagens como «Trabalho procura-se», «Não às Políticas da UE e do FMI, outro rumo é possível» e «Basta de austeridade e exploração» e «Vete o Código laboral». Não promulgar as alterações à legislação laboral foi também a principal reivindicação apresentada num documento, entregue ao chefe da Casa Civil da Presidência por uma delegação da União, com dados sobre o desemprego e a pobreza no distrito e reforçando as reivindicações e propostas da CGTP-IN.


<i>CP Carga</i>

De 1 a 25 de Maio, os trabalhadores da CP Carga retomam a greve a todo o serviço que não cumpra escrupulosamente o Acordo de Empresa, revelou o SNTSF/CGTP-IN, acusando a administração de fugir à resolução dos problemas.


<i>PT</i> dá milhões

Uma grande participação nas lutas que se avizinham foi defendida pela Comissão de Trabalhadores da Portugal Telecom, no apelo para as comemorações do 25 de Abril e do 1.º de Maio. A CT da PT recordou que não houve aumentos salariais em 2011 e não há perspectivas melhores para 2012, enquanto aumentaram os encargos dos beneficiários dos planos de saúde, e muitos dos trabalhadores da PT Comunicações foram desqualificados nas novas «carreiras PT», o que se soma às consequências da política do Governo. Para a CT, trata-se de «medidas desadequadas e injustas», que «só servem para sustentar de forma escandalosa a remuneração accionista e as benesses dos administradores e gestores de topo». Em 2012, os accionistas da PT vão receber mais de 580 milhões de euros de dividendos, quando os resultados líquidos são de 339 milhões. O presidente e cinco dos administradores da Comissão Executiva já receberam cerca de oito milhões de euros, referentes a 2011.


<i>Tabaqueira</i>

Para comprar direitos, inscritos no Acordo de Empresa há mais de trinta anos, a administração da Tabaqueira está disposta a pagar milhares de euros e prepara um novo AE com a UGT, que terá uma dezena de associados entre os quase 700 trabalhadores da empresa de Albarraque, da Philip Morris International. A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos, que rompeu as negociações para o novo AE e está a organizar a luta em defesa da frequência gratuita do centro infanto-juvenil, bem como do transporte porta-a-porta e do seguro de saúde.


<i>TAP</i> e <i>ANA</i>

Por unanimidade, os dirigentes e delegados sindicais do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos decidiram rejeitar a intenção de privatizar a TAP e a ANA. A moção aprovada no encontro da estrutura do Sitava/CGTP-IN, nos dias 12, 13 e 14 de Abril, preconiza a mobilização dos trabalhadores, «para combater a política anunciada, que visa desestruturar todo o sector».


CGTP-IN em Cuba

Ana Pires, do Conselho Nacional da CGTP-IN e responsável pela área da solidariedade internacional e paz, deslocou-se a Havana, a convite da Central de Trabalhadores de Cuba, para representar a Intersindical nas comemorações do 1.º de Maio. Participaria ainda num encontro internacional de organizações sindicais e num evento internacional de solidariedade com os trabalhadores e o povo de Cuba.

A mesma dirigente representou a Interjovem/CGTP-IN na 2.ª Conferência Internacional da Juventude Trabalhadora da Federação Sindical Mundial, que se realizou em Havana, Cuba, nos dias 29 e 30 de Abril, tendo como tema principal a luta contra o desemprego juvenil.


Cooperação

A Associação de Bolseiros em Investigação Científica (ABIC) e o Sindicato dos Professores da Região Centro (SPRC, filiado na Fenprof e na CGTP-IN) assinaram no dia 26 de Abril um protocolo com vista a «uma ainda maior aproximação entre as duas organizações», indo «muito para além de aspectos de ordem jurídica». O sindicato disponibiliza salas para reuniões de bolseiros em toda a região Centro e garante condições especiais na produção de materiais de divulgação. No protocolo, como se refere uma nota de imprensa do SPRC, são abarcadas iniciativas conjuntas no plano da acção reivindicativa, de denúncia de ilegalidades e atentados a direitos de bolseiros e investigadores e de reflexão sobre o presente e futuro.


Arqueólogos

A Comissão Instaladora do Sindicato dos Trabalhadores de Arqueologia (STARQ) e o Sindicato dos Trabalhadores de Espectáculos (STE) fizeram um acordo para que uma sede provisória da nova estrutura dos arqueólogos funcione numa sala da sede do STE, no segundo andar do n.º 23 da Rua da Fé, em Lisboa. A Comissão Instaladora foi eleita na Assembleia Constituinte do STARQ, que teve lugar a 24 de Março de 2012, no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa, e publica a sua informação na Internet (sindicatodearqueologia.blogspot.pt), prosseguindo a acção do grupo de trabalho que iniciou este processo.