Breves
ALCOCHETE
Valorizar salinas

Deputados do PCP visitaram, no dia 20, as salinas do Samouco, em Alcochete, onde puderam constatar a «importância ambiental, pedagógica e científica das Salinas no contexto da região e do País», realça-se num comunicado da Comissão Concelhia do Partido, emitida no dia seguinte. O PCP sublinha ainda o «trabalho meritório» da Fundação das Salinas do Samouco na preservação da identidade marcada pelo trabalho das salinas e do seu cariz educativo (600 visitantes em 2011 e já mais de mil no corrente ano).

Apesar deste trabalho e dos «elevados investimentos feitos» a Fundação, que não recebe um cêntimo do Orçamento do Estado, consta da lista das fundações a extinguir, prevendo-se que as suas atribuições passem para o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, que entretanto já se manifestou contra esta transferência. Este processo surge num momento em que, para o PCP, se «poderia consolidar e desenvolver com mais investimento a intervenção desenvolvida pela Fundação, os projectos de educação ambiental, as hortas comunitárias, a promoção da actividade das salinas e até da sua produção», o que é agora posto em causa. 


AVEIRO
Subserviência total

A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP acusa o PSD e o CDS de «total subserviência ao Governo» por terem aprovado, na Assembleia Municipal, o desaparecimento de cinco freguesias do concelho. Se dúvidas houvesse acerca das «reais motivações» desta decisão, acrescenta o Partido, a leitura do preâmbulo da proposta trata de as dissipar: refere-se aí o «objectivo de garantir a consolidação orçamental e a sustentabilidade das contas públicas decorrente do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF) assumido por Portugal com a Comissão Europeia, do pedido de resgate efectuado pelo então Governo da República Portuguesa à Comissão». O preâmbulo reconhece, porém, que a extinção das freguesias «'não se traduzirá, para o município de Aveiro, em qualquer ganho minimamente relevante, seja em eficiência política, seja na melhoria da gestão logística e financeira, seja na racionalização e redução de custos».


MOITA
Pobreza alastra

A pobreza está a alastrar na freguesia de Vale da Amoreira, no concelho da Moita, atingindo a sua população de uma forma «crescente e muito violenta». Esta é a percepção da Organização de Freguesia do PCP, que realizou recentemente a sua assembleia. No decorrer dos trabalhos, denunciou-se o aumento dos pedidos de leite e outros alimentos que diariamente chegam à Junta de Freguesia, onde os comunistas estão em maioria, para além das solicitações de apoio jurídico para impedir o despejo das habitações. «Este alastramento da pobreza, que cada dia atinge novas famílias, à medida que crescem os despedimentos e aumenta o número de desempregados, é acompanhado do aparecimento de novos fenómenos geradores de insegurança das populações», conclui o PCP, valorizando a acção da autarquia no apoio aos «casos mais gritantes de pobreza».