Falta acabar de vez<br>com bloqueio a Cuba

Como se esperava, a esmagadora maioria dos países membros da ONU, 191 dos 193, votou na quarta-feira, 26, uma resolução exigindo o levantamento do bloqueio norte-americano a Cuba. A novidade, este ano, foi a abstenção dos EUA e do seu fiel aliado Israel, que sempre votaram contra nas 24 anteriores sessões em que a Assembleia Geral das Nações Unidas se pronunciou a favor de Cuba.
Apesar desta mudança, considerada «histórica», e de a representante dos EUA,
Samantha Power, ter reconhecido o fracasso do bloqueio e o repúdio que suscita na comunidade internacional, importa ter presente que o cerco económico, comercial e financeiro a Cuba persiste, assim como a sua componente extraterritorial. Isso mesmo recordou o diplomata cubano Bruno Rodríguez, que na sua intervenção saudou a nova posição de Washington mas sublinhou que devem julgar-se os factos e não as palavras, e que aqueles demonstram a vigência das sanções unilaterais.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: