Ao Presidente exige-se voz e acção de acordo com a Constituição
João Ferreira no Porto e Trás-os-Montes vinca diferença da sua candidatura a PR

CAMPANHA João Ferreira esteve, quinta e sexta-feira da passada semana, em três distritos a Norte do Douro, num total de seis iniciativas em que contactou com trabalhadores de vários sectores e produtores locais.

O périplo iniciou-se, porém, ao final da manhã de quinta-feira, com uma vista à segunda fase da remoção de resíduos industriais perigosos em São Pedro da Cova, Gondomar. Esta obra só está a avançar graças à luta da população [e da Junta de Freguesia ] pelo reconhecimento de um direito que a Constituição lhe consagra: o direito a viver num ambiente sadio e ecologicamente equilibrado, destacou João Ferreira.

O candidato aproveitou para lembrar que, ao longo desses 20 anos, «se impunha outra atenção e intervenção por parte do Presidente da República (PR)» a esta matéria, sublinhando, ainda que, terminada a remoção dos resíduos, importa garantir «a necessária e devida requalificação do espaço», bem como a «responsabilização e punição dos responsáveis por aquele crime ambiental».

Também no dia 19, no distrito do Porto João Ferreira encontrou-se com dirigentes de organizações representativas de estruturas de segurança. Após auscultar as preocupações e aspirações destes, assegurou que vai continuar a dar voz às suas reivindicações e ao cumprimento dos respectivos direitos, designadamente a contratação de mais efectivos, melhores condições laborais e o pagamento de um subsídio de risco.

Já ao final da tarde, o candidato reuniu, na Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto, com assistentes sociais, que lhe trouxeram relatos chocantes de situações de exclusão e pobreza. «Uma viva manifestação de que a protecção especial que a Constituição prevê para os jovens, os idosos, os cidadãos portadores de deficiência (entre outros), está longe de ser efectivada», enfatizou.

Na iniciativa em que participou o mandatário distrital da candidatura à Presidência da República (ver caixa), João Ferreira salientou, por isso, a necessidade de o mais alto magistrado da nação colocar, «para lá das câmaras e das selfies, os seus poderes ao serviço do inequívoco fim das desigualdades sociais».

Para lá do Marão

Já na sexta-feira, 20, João Ferreira rumou a Trás-os-Montes. Primeiro, em Macedo de Cavaleiros, encontrou-se com associações de produtores de raças autóctones do distrito de Bragança, tendo reclamado «voz e acção», por parte do PR, para estes autênticos «guardiões dos tesouros nacionais», os quais, «persistentemente, defendem o património genético das raças nacionais e, com isso, ocupam o território e dão um contributo inestimável para um ambiente ecologicamente equilibrado».

Em seguida, contactou com funcionários da Faurécia, em Bragança, tendo-se solidarizado com a luta em curso pela valorização dos salários e direitos, e recebido de dois trabalhadores – Márcio Pinheiro e Rui Pereira –, manifestações públicas de apoio à sua candidatura.

Em Bragança, junto ao hospital local, João Ferreira proferiu uma declaração em defesa do reforço de meios técnicos e humanos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), não apenas para «aumentar a capacidade de resposta a COVID-19, mas a todas as outras situações».

«É necessário contratar mais profissionais – médicos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico, auxiliares, que estão em falta também aqui. E os poucos que vão sendo contratados, são-no apenas temporariamente», denunciou João Ferreira, que, mais tarde, já em Vila Real, numa sessão pública no átrio do antigo edifício do Governo Civil, reiterou que, «apesar da insistência de alguns em equiparar o SNS aos que fazem da saúde um negócio, precisamos de um PR que, pelo contrário, intervenha para que se cumpra a Constituição, assegurando a todos o direito a saúde, por via de um SNS universal e gratuito».

Mandatários no Porto e em Vila Real

Aproveitando a presença de João Ferreira no Porto, o mandatário da candidatura no distrito, José António Pinto («Chalana», como é conhecido), expressou publicamente o seu apoio, tendo salientado a importância das eleições para PR, considerando o que as atribuições e competências deste podem contribuir para a elevação das condições de vida populares, agravadas no actual contexto pandémico.

Na sessão pública, em Vila Real, foi dado a conhecer o mandatário distrital da candidatura de João Ferreira: Manuel Cunha.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: