• Comunicado da Comissão Política do PCP
sobre o 30.º aniversário do 25 de Abril

Comemorar Abril
A Comissão Política do PCP apela à participação nas comemorações do 25 de Abril, pois «ontem como hoje é pela luta e intervenção que se afirmará a vontade e determinação dos trabalhadores e do povo em defender e afirmar as conquistas e direitos da Revolução de Abril».

• O povo constrói Abril e enfrenta a reacção
A contra-revolução afia os dentes
Após 48 anos a viverem sob o pesado jugo da ditadura, milhares de pessoas invadem as ruas, cercam os fascistas nos seus próprios quartéis e gritam a plenos pulmões a tão ansiada liberdade. Forjado pelo combate contra a repressão e organizado pelo Partido de vanguarda, o povo tomou Abril em mãos e construiu a Revolução. Contrários às aspirações populares, saudosos do regime que escondeu o pão e amordaçou Portugal, os agentes da contra-revolução querem matar à nascença o sonho da sociedade nova que os trabalhadores explorados e os militares progressistas teimavam em semear na cidade e no campo, no norte e no sul de um País reconquistado.

• «Verão quente» de 1975
Das provocações à lei da bomba
O período do «Verão quente» de 1975 foi o mais conturbado da breve mas fascinante história da Revolução de Abril. Derrotadas três tentativas golpistas cujo fim era impedir a concretização do Programa do MFA, travar a aplicação concreta das conquistas revolucionárias e aplicar um novo regime ditatorial de cariz fascizante, a reacção põe em marcha uma espécie de «solução final».

• Nos 30 anos do 25 de Abril
Comemorações em todo o País