Eleições para o Parlamento Europeu
Plataforma eleitoral comum para as eleições para o Parlamento Europeu
Subscrita por 14 partidos comunistas e outros partidos de esquerda e apoiada pelo Partido Comunista da Finlândia e outros, foi adoptada, no dia 5 de Abril passado, em Chipre, uma Plataforma Eleitoral Comum com vista às próximas eleições para o Parlamento Europeu. A Plataforma culminou positivamente um processo de discussão iniciado com a reunião de 7 de Fevereiro, em Lisboa, realizada a convite do PCP. O nosso jornal já havia noticiado a iniciativa em que foi divulgada esta Plataforma, que teve lugar em 27 de Abril, no Centro de Trabalho Vitória, com a participação do Secretário-geral do Partido, Carlos Carvalhas, da cabeça de lista da CDU, Ilda Figueiredo e de outros dirigentes e membros da lista da Coligação Democrática Unitária.

Soberania, patriotismo, internacionalismo
Neste início do século XXI, o projecto de domínio mundial do imperialismo, a globalização capitalista, procura arrasar a soberania dos Estados e os direitos dos povos, define a defesa dos interesses nacionais como algo ultrapassado, identifica modernidade e futuro com um mundo em que a hegemonia do imperialismo e os interesses das multinacionais seriam a ordem natural das coisas. A força com que tais ideias são propagadas atinge em Portugal amplos sectores, determinando uma forma de olhar para o País, a Europa e o mundo marcada por essa visão redutora que regressa com novas roupagens a concepções e práticas anteriores à segunda metade do século XX. Neste quadro, o PCP, partido patriótico e internacionalista, marca mais uma vez a diferença.