Skinheads detidos

Quatro skinheads foram detidos, na madrugada de sábado, por posse ilegal de arma de fogo.
Os indivíduos encontravam-se num clube nocturno, em Loures, quando a operação da GNR surpreendeu o grupo neofascista, tendo as autoridades apreendido ainda, entre outros objectos, soqueiras, bastões, tacos de basebol, bandeiras do III Reich com cruzes suásticas e imagens de Adolf Hitler e Salazar.
Os detidos compareceram, no mesmo dia, perante o juiz do Tribunal de Loures, sendo-lhes aplicada a medida de coacção de apresentação periódica no posto policial da respectiva área de residência.
Para além dos quatro indiciados por posse ilegal de revólveres, outros 21 «cabeças rapadas» foram constituídos arguidos no processo, suspeitos de participarem e incitarem à participação em actos de natureza racista e xenófoba.
Recorde-se que a GNR e outros serviços policiais haviam investigado e vigiado, no passado dia 19 de Junho, também no concelho de Loures, uma concentração de neonazis, a qual juntou cerca de três centenas de indivíduos de diversas nacionalidades.


«Fahrenheit 9/11» bate recorde

O polémico filme sobre o 11 de Setembro e as estritas ligações das famílias Bush e Ben Laden, da autoria do não menos polémico realizador norte-americano Michael Moore, estreou, na passada sexta-feira, em 868 salas de cinema de 50 estados norte-americanos, depois de uma longa batalha contra a tentativa de proibir a exibição da película nos EUA.
De acordo com dados preliminares avançados pela distribuidora, «Fahrenheit 9/11» rendeu mais de 20 milhões de dólares só nos primeiros três dias, podendo tal facto constituir o início de um recorde mundial, o do filme-documentário mais visto num único fim-de-semana.
A corrida às primeiras sessões do documentário foi de tal forma animada que, na ante-estereia, em duas salas de cinema de Nova Iorque, os proprietários foram obrigados a prolongar as exibições até de madrugada.
Paralelamente, realizam-se diversos eventos de esclarecimento e mobilização política junto aos cinemas, em campanhas marcadas pelo discurso anti-Bush e contra a guerra e ocupação do Iraque.
Num dos cinemas da ante-estreia havia até um boneco de Bush, em tamanho real, que convidava os espectadores a socarem e derrubarem o presidente norte-americano. Os relatos indicam que foram muitos os que, com prazer, quiseram experimentar a brincadeira.


A caminho da final

A selecção portuguesa bateu, na passada quinta-feira, no Estádio da Luz, a congénere inglesa após a marcação de grandes penalidades, garantindo, desta forma, o apuramento para as meias-finais do Campeonato da Europa de Futebol.
Numa partida imprópria para cardíacos foram os ingleses que se adiantaram no marcador, aos três minutos. Os portugueses empataram já perto do final, consumando a reviravolta com um golo na fase de prolongamento, o qual mereceu igual resposta por parte dos ingleses, que enviaram o jogo para o desempate por pénaltis.
A selecção nacional acabou por alcançar o triunfo após um golo do guarda-redes Ricardo que, minutos antes, havia defendido a última penalidade britânica.
À hora do fecho da nossa redacção, Portugal disputava com a selecção da Holanda o apuramento para derradeiro embate, facto que a acontecer assinalará a primeira presença portuguesa na final de um Campeonato da Europa.


IBM com Hitler

Um tribunal suíço deu provimento, na terça-feira da semana passada, ao recurso apresentado pela Gypsy International Recognition and Compensation Action (GIRCA) relativamente ao envolvimento da IBM no holocausto, abrindo caminho à organização para mover um processo judicial contra a multinacional.
A GIRCA acusa a IBM de ter sustentado logisticamente os serviços de contagem e categorização dos prisioneiros dos campos de extermínio durante a II Grande Guerra Mundial, facto que o tribunal considerou como uma «cumplicidade da IBM por via do apoio material e intelectual aos actos criminosos dos nazis, através do seu gabinete em Genebra».
A IBM poderá, depois de provadas em novo julgamento as suas conexões com o genocídio de seis milhões de judeus e cerca de 600 mil ciganos, vir a ser condenada ao pagamento de avultadas indemnizações às famílias das vítimas e aos sobreviventes.
Para além de documentação recolhida pela GIRCA que aponta para a cumplicidade da IBM, o caso ganhou notoriedade depois da publicação, em 2001, de uma investigação conduzida por Edwin Black, a qual prova o uso por parte dos nazis de protótipos de sistemas da empresa no tratamento de dados estatísticos, genealógicos e demográficos.
Recorde-se que o fundador da IBM, Thomas Watson, foi condecorado, em 1937, por Adolf Hitler, pouco tempo depois da abertura dos serviços da empresa em Genebra.


Sem dinheiro não há cantorias

O espectáculo de ópera «O Barbeiro de Sevilha» que, na quarta-feira da semana passada, deveria ter decorrido nas ruínas do Convento do Carmo, em Lisboa, acabou por não se realizar devido à recusa dos cantores italianos em actuarem sem verem garantido o respectivo pagamento.
Segundo informações divulgadas pela Lusa, a organização do evento não conseguiu pagar a tempo aos profissionais, facto que, segundo um dos responsáveis, se ficou a dever ao atraso no encaixe do montante proveniente da venda de bilhetes pela internet, mas também à falta de apoio de algumas entidades, entre as quais a Câmara Municipal de Lisboa.
Os espectáculos agendados para sexta-feira e sábado acabaram por se realizar depois de um acordo entre as partes, tendo-se efectuado ainda uma récita extra, no domingo, para compensar os cerca de 500 espectadores que, na quarta-feira, ficaram com o ingresso na mão.


Resumo da Semana