Agricultores contra transgénicos

Agricultores e ambientalistas manifestaram-se, quarta-feira, da passada semana, em Lisboa, contra o cultivo de milho modificado geneticamente, que consideram uma ameaça à agricultura tradicional e à saúde dos consumidores.
Num protesto seguido atentamente pelos pombos, no Terreiro do Paço, agricultores de vários pontos do País «semearam» milho não transgénico pela praça e ofereceram, a quem passava, vinho e broa feita com «a última colheita portuguesa de milho não contaminado».
Os promotores da manifestação, entre os quais a CNA, querem que o Governo aplique «uma moratória ao cultivo de transgénicos em Portugal», acusando a regulamentação actual (que prevê a coexistência entre milho modificado e milho natural com uma distância de segurança) de ter sido «feita à pressa» e sem condições para controlar a coexistência.


Seixal aposta em energias renováveis

A Agência Municipal de Energia (AME) do Seixal vai certificar os edifícios do concelho que tenham painéis solares térmicos, ao abrigo de uma iniciativa que se realizou sexta-feira com projectistas e construtores civis.
Com o projecto «Selo Verde», o município pretende incentivar particulares e empresas da construção a aplicarem nas casas energias renováveis, em especial a solar.
Em declarações à Lusa, o director da AME do Seixal, Philippe Bollinger, explicou que a certificação consiste numa placa alusiva que será colocada na entrada de prédios ou moradias.
Anualmente será atribuído um prémio ao edifício mais amigo do ambiente. Philippe Bollinger acrescentou que, apesar de serem caros, os painéis solares térmicos permitem reduzir em 70 por cento os gastos de energia ao aquecerem a água de consumo doméstico.
Um folheto informativo e um guia técnico serão distribuídos aos interessados que se desloquem, a partir de sexta-feira, aos serviços municipais de urbanismo requerendo a licença de construção ou utilização de um imóvel. De acordo com a AME do Seixal, o sol é a maior fonte de energia renovável do concelho.


Companhia de Dança de Almada na Polónia

A Companhia de Dança de Almada actuou, nos dias 26, 28 e 29, em três espectáculos, em Bytom, Polónia, no âmbito da Conferência Internacional de Dança Contemporânea e Festival de Arte de Dança. Esta iniciativa reúne, de 26 de Junho a 9 de Julho, naquela cidade da Silésia, mais de 200 artistas de todo o mundo.
A Companhia de Dança de Almada iniciou a actividade em 1990 e já realizou mais de 500 espectáculos vistos por cerca de 80 mil espectadores no País e estrangeiro, segundo informação disponibilizada no seu «site».
Com direcção artística de Maria Franco, a companhia é subsidiada pela Câmara Municipal de Almada e pelo Ministério da Cultura.


Chavez responsabiliza ocidente pelo preço do petróleo

O presidente venezuelano Hugo Chavez acusou sexta-feira os países ocidentais, em particular os Estados Unidos, de provocar os preços recordes do petróleo, devido ao seu «modelo de desenvolvimento baseado na sociedade de consumo».
Num discurso pronunciado por ocasião de uma parada militar, que celebrou uma batalha da independência da Venezuela, Hugo Chavez evocou «perspectivas obscuras a propósito da distribuição de energia mundial e a crise que se aproxima, causada pela sociedade de consumo irracional do Norte».
«Existe um desperdício de recursos energéticos não renováveis no Norte do planeta e sobretudo nos Estados Unidos, onde não vive mais de cinco por cento da população, mas onde é consumido 25 por cento da energia mundial», afirmou Chavez, sublinhando que esse é o principal motivo da crise entre Caracas e Washington.
«A verdadeira razão pela qual o governo mais poderoso do planeta ataca o Estado venezuelano, é a energia, o petróleo, o gás e as imensas reservas energéticas que a Venezuela possui», indicou o presidente venezuelano.


Homenagem a Urbano Tavares Rodrigues

Integrado nas comemorações do 80.º aniversário da Sociedade Portuguesa de Autores, realizou-se, segunda-feira, no Auditório Frederico de Freitas, em Lisboa, uma sessão de homenagem ao escritor e professor universitário Urbano Tavares Rodrigues. Luísa Mellid Franco Monteiro e Kelly Bernoudis, professoras universitárias, falaram sobre a vida e obra do homenageado.


Resumo da Semana