China combate fraude
A Secretaria Nacional de Auditoria da China descobriu fraudes em fundos governamentais equivalentes a 35 800 milhões de dólares nos primeiros 11 meses de 2005, anunciou esta semana em Pequim aquele organismo.
Segundo a mesma fonte, no período em causa foram investigados 22 mil funcionários públicos, do que resultou a acusação de 196 pessoas por violação das leis e normas financeiras vigentes.
Os auditores chineses consideraram ainda preocupante a frequência com que se registam infracções em sucursais bancárias, pelo que decidiram intensificar as acções de fiscalização no sector. Na mira estão as filiais do Banco da China, das Comunicações e dos Comerciantes da China, cujos livros de contabilidade vão voltar a ser analisados.
Um caso típico deste género de delitos, que as autoridades não querem ver repetir, foi o desfalque cometido por um quadro superior do Banco da China, que no início do ano desfalcou a instituição em 35,8 milhões de dólares e fugiu do país.
A comissão Reguladora de Bancos da China informou entretanto ter sancionado 799 membros da direcção dos quatro maiores bancos do país (bancos Industrial e Comercial, Agrícola, da Construção e Banco da China) por envolvimento em empréstimos ilegais ou não autorizados da ordem dos 73 mil milhões de dólares.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: