Portimão
11 mil sem médico
A Comissão Concelhia de Portimão do PCP está solidária com a população do concelho que, afirma, está «cada vez mais confrontada com graves problemas na área da saúde, com mais de 11 mil utentes sem médico de família». Após o SAP ter reduzido o seu horário de funcionamento e de pairar ainda a hipótese do seu encerramento, eis que surge uma nova preocupação: no Serviço de Urgência do Hospital do Barlavento, há pessoas em macas a aguardar longas horas por atendimento. Para agravar ainda mais a situação, acusa o PCP, está previsto o encerramento dos SAP de Silves, Lagoa e Monchique, já com o horário de funcionamento reduzido.
Há um responsável por esta situação, diz o PCP: o Governo do PS e a sua política de encerrar serviços sem alternativa credível, «demonstrando uma falta de respeito pelas populações e, uma vez mais, uma tremenda obsessão pelo défice a todo o custo». É, pois, preciso, que a população se mobilize para impedir o encerramento dos serviços de saúde».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: