Major-general critica UE

O major-general Raul Cunha criticou, na passada semana, a transição da ONU para a Eulex, a maior missão de sempre da União Europeia no Kosovo. Em declarações à TSF, o major-general acusou a UE de estar a fragilizar a ONU não só no Kosovo, mas também em todo o mundo.
«Não digo que o fez deliberadamente, mas para servir os interesses de alguns países da UE, dos grandes da UE, que têm aqui interesses estratégicos nacionais», adiantou.
Raul Cunha manifestou também o seu desacordo com o investimento europeu de quatro mil milhões de euros, 80 por cento dos quais em capacity building e consultadoria.
«Na prática, dos quatro mil milhões de euros, houve logo 3,250 mil milhões que voltaram à base. Ou seja, a UE paga como um todo, mas há dois ou três países que estão aqui a ter lucro», denunciou.
O major-general português considerou ainda que a minoria sérvia no Kosovo levará muito tempo a aceitar a presença europeia no território, ou mesmo, se calhar esta nunca será aceite.


«Todos pelos direitos de Abril»

Inserido na campanha de comemorações do 25 de Abril, a JCP realizou, no passado dia 29 de Abril, no Auditório da Universidade da Beira Interior (AAUBI), um debate com o lema «A Constituição Portuguesa vs Constituição Europeia».
Esta iniciativa, onde se aprofundou questões como o Tratado de Lisboa, contou com a participação de Pedro Guerreiro, deputado do PCP no Parlamento Europeu, e Rita Rato, da Comissão Política da JCP. «Devemos defender a nossa Constituição e continuar a dizer “não” ao tratado reformador da União Europeia», acentua, em nota de imprensa, a JCP.


Utentes exigem reabertura do SAP

A Associação de Utentes de Saúde do Concelho de Alijá (AUSCA) enviou, no início da semana, ao Governo um abaixo-assinado, com duas mil assinaturas, a exigir a reabertura no período nocturno do Serviço de Atendimento Permanente (SAP).
A AUSCA considera que a decisão do Executivo PS «agravou o acesso da população do concelho aos cuidados de saúde, pois o encerramento não foi acompanhado pela criação de qualquer alternativa».
O fecho do SAP obriga os utentes de Alijó a deslocarem-se a Vila Real, o que pode demorar cerca de uma hora desde algumas localidades do concelho.


Protestos na Somália

A capital da Somália, Mogadíscio, continua a ser palco de manifestações populares contra o elevado preço dos alimentos e a não aceitação por parte do povo do pagamento dos géneros em dólares. Na cidade, barricadas foram levantadas nos principais acessos ao centro urbano avolumando os protestos.
A moeda somali, o shilling, depreciou-se para quase o dobro face ao dólar, passando de 17 para 30 mil por cada dólar. Acresce que a guerra civil que se desenrola desde 1991 deixou o país dependente das importações para responder às necessidades mais básicas da população.


Alemães querem fim do Euro

Um terço dos alemães quer deixar a moeda única da Zona Euro e voltar ao marco alemão, segundo um estudo da associação de bancos alemães (BDB). Dez anos depois de o euro ter sido introduzido no sistema financeiro, 34 por cento dos alemães quer voltar a utilizar a sua antiga moeda porque consideram que a moeda europeia é a principal razão para a subida da inflação na Alemanha.


Niemeyer sócio da Academia de Ciência de Lisboa

O arquitecto brasileiro Oscar Niemeyer, que completou cem anos em 2007, foi eleito, esta semana, sócio-correspondente da Academia das Ciências de Lisboa. A eleição foi aprovada na última reunião da classe de Ciências da Academia.
Fundada em 1779, a Academia das Ciências de Lisboa tem 35 sócios efectivos e cerca de 140 sócios-correspondentes nacionais e estrangeiros, distribuídos por duas classes (Ciências e Letras).


Resumo da Semana