Breves
Carga policial em Genebra
A polícia suíça carregou contra uma manifestação com milhares de pessoas que se dirigia para a sede da Organização Mundial do Comércio, no sábado, 28, para protestar contra a reunião ministerial realizada esta semana em Genebra.
Ainda antes do desfile, as autoridades helvéticas detiveram na fronteira três activistas coreanos. Os organizadores do protesto denunciaram entraves à liberdade de expressão e excessos da polícia a pretexto dos distúrbios e destruições provocados por grupos isolados que atacaram lojas, bancos, e incendiaram alguns automóveis no centro da cidade.

100 desfiles em defesa de <i>La Poste</i>
Mais de uma centena de manifestações contra a privatização dos correios (La Poste) tiveram lugar, no sábado, 28, em cerca de 40 departamentos franceses. As acções foram convocadas por um comité nacional formado por partidos, sindicatos e outras organizações sociais, que reclama a realização de um referendo sobre o serviço postal público.

Divórcio milionário de Berlusconi
A esposa do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, exige um subsídio familiar anual de 43 milhões, ou seja 3,5 milhões de euros mensais, no âmbito do processo de divórcio que encetou contra il cavaliere.
Berlusconi já disse que recusa, propondo «200 mil euros por mês, negociáveis até 300 mil» segundo escreveu o Corriere della Sera. Tanto mais que o esposo já terá vertido entre 60 e 70 milhões de euros à mãe dos seus filhos.
Diga-se que Berlusconi é o segundo homens mais rico de Itália e está em 70.º lugar na lista mundial, com uma fortuna avaliada este ano pela revista Forbes em 6,5 mil milhões de dólares. O seu império compreende a Mediaset e três canais de televisão, o grupo editorial Mondadori, o grupo Mediolanum na banca e nos seguros e ainda o clube de futebol AC Milão.

Ministro alemão demite-se
O actual ministro do Trabalho alemão, Franz Josef Jung, demitiu-se, dia 27, após o Bild ter revelado na véspera que a sua implicação, enquanto ministro da Defesa, no encobrimento de um bombardeamento, em 4 de Setembro, na região de Kunduz, no Norte do Afeganistão, que terá provocado pelos menos a morte de 142 pessoas, entre as quais pelo menos 30 civis.
Na altura, Jung negou a existência de vítimas civis, consciente de que as tropas alemãs têm o compromisso de se abster de acções que ponham em perigo a vida de civis. Porém, a imprensa descobriu que as perdas civis foram ocultadas pelo seu Ministério à opinião pública e à procuradoria federal que abriu uma investigação sobre o caso.
A revelação já provocou também a destituição do chefe do estado-maior do exército Wolfgang Schneiderhan, e do secretário de Estado da Defesa, Peter Wichert.

Cultura francesa em greve
Após quatro dias de paralisação dos trabalhadores do Centro Pompidou, em Paris, os sindicatos convocaram uma greve por prazo ilimitado, iniciada ontem, dia 2, em cerca de 80 museus, teatros e instituições sob a tutela do Ministério da Cultura de França.
O sector exige a revogação do princípio de não substituição de um em cada dois trabalhadores que se aposentam, bem como o fim dos cortes orçamentais e da política de «retirada do Estado da cultura».

Irlandeses contra austeridade
Mais de 250 mil trabalhadores da administração pública irlandesa estiveram em greve, no dia 24, em protesto contra as medidas de austeridade impostas pelo governo para sanear as contas do Estado.
Nesta jornada, considerada como a mais importante mobilização dos últimos anos, foram especialmente contestados os cortes orçamentais de quatro mil milhões de euros e a redução dos salários em cerca de 12 por cento.