<i>Honoris Causa</i> para Emygdio Cadima

A Universidade do Algarve atribuiu, sexta-feira da semana passada, o grau de Doutor Honoris Causa ao professor e investigador Emygdio Landerset Cadima. Militante comunista sempre organizado e activo no colectivo partidário, entregando-se com a mesma dedicação quer às tarefas de maior responsabilidade e mais complexas, quer às mais simples e modestas, Emygdio Cadima licenciou-se em Ciências Matemáticas, em 1950, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.
Depois de enveredar pela área da gestão e avaliação dos recursos pesqueiros, foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian na Grã-Bretanaha, trabalhou no Instituto de Biologia Marítima, em Portugal e no Laboratório de Pescas de St. Andrews, no Canadá. Posteriormente ingressou na Agência das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), primeiro em Havana, Cuba, depois em Roma, Itália.
Regressado a Portugal após o 25 de Abril, Emygdio Cadima foi director do Serviço de Estatísticas da Secretaria de Estado das Pescas e Investigador Principal no Instituto Nacional de Investigação das Pescas (INIP/IPIMAR). Foi responsável por várias disciplinas na Universidade do Algarve e Investigador Principal na instituição, a qual abandonou, em 1997, ao atingir o limite de idade da carreira docente. Mantém-se como consultor científico da Federação dos Sindicatos da Pesca.
Não podendo estar presente na cerimónia de entrega do Doutoramento Honoris Causa, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, enviou uma saudação na qual sublinha «o reconhecimento pelo percurso de uma vida dedicada à investigação» à qual Emygdio Cadima soube «associar as preocupações e intervenção pelo progresso e pela justiça social».
«Conhecemos o teu valioso trabalho ligado ao sector das pescas e não esquecemos que a aplicação dos teus conhecimentos e saberes foram sempre direccionados para a construção de um mundo mais desenvolvido e melhor», conclui a missiva.


Desemprego galopante

A destruição de posto de trabalho em Portugal não pára de aumentar. De acordo com dados divulgados pelo Eurostat, a taxa de desemprego no nosso país atingiu, no passado mês de Dezembro, os 10,4 por cento.
Comparando com o mesmo período de 2008, o organismo estatístico europeu conclui que em Portugal observou-se um aumento de 2 por cento, colocando o país acima da taxa média registada nos países aderente à moeda única (10 por cento), mas também no mesmo índice calculado para os 27 estados-membros da UE (9,6 por cento).
Na UE, a Letónia é a campeã do desemprego, com 22,8 por cento da população activa nessa situação, à frente da Espanha com 19,5 por cento. Seguem-se a Estónia, 15,2 por cento, e a Lituânia, com 14,6 por cento. Todas as repúblicas bálticas viram a taxa de desemprego mais que duplicar num ano.
Na Alemanha, 7,5 por cento, Luxemburgo, 6,2 por cento, na Bélgica, 8,2 por cento, na Holanda, 4,0 por cento e na Áustria, 5,4 por cento, o desemprego também subiu entre 2008 e 2009.


Amor por Neruda

Já se encontra nos escaparates livreiros o livro «Poemas de Amor de Pablo Neruda». A edição bilingue, traduzida por Nuno Júdice e publicada com a chancela da «Dom Quixote», reúne 19 grandes poemas de amor escritos pelo poeta, escritor e militante comunista chileno.
«Em ti a terra», «O sonho», ou «Ode com um lamento» são alguns dos poemas que podemos encontrar na obra.


Diversão protestou contra Governo

Os empresários dos equipamentos de diversão abandonaram Lisboa após uma semana de protestos diários na capital. Os manifestantes dizem ter decidido «levantar o cerco» à cidade depois do Ministério da Economia (ME) ter cedido às suas reivindicações.
De acordo com a Associação de Proprietários de Equipamentos de Diversão (APED), a tutela garantiu a correcção das normas que regem o sector, assegurando, deste modo, a clarificação das dúvidas técnicas que subsistiam no que respeita ao licenciamento dos equipamentos por parte dos municípios.
Pelo seu lado, o ME rejeita tal leitura, reiterou que não procederá a qualquer alteração ao decreto-lei e insiste na má interpretação desta por parte de empresários e autarquias.
Depois de abandonarem o Parque do Trancão, onde se mantinham concentrados mais de 150 camiões, os empresários rumam a Pedrogão Grande para uma concentração de festejo da vitória da sua luta.
Já o representante do sector, antes de partir, percorreu algumas das artérias de Lisboa para agradecer o apoio e a compreensão dos automobilistas para com o protesto.


Morreu J.D. Salinger

Desapareceu, aos 91 anos, o escritor norte-americano Jerome David Salinger, notabilizado pela autoria de «Uma Agulha no Palheiro», de 1951, e pelas aventuras de Holden Caulfield, que antes da publicação daquela obra era a personagem central dos contos editados na revista The New Yorker, dos quais resultou, mais tarde, o livro «Nove Contos».
Nascido em Manhattan, em 1919, Salinger foi mobilizado para a Segunda Guerra Mundial participando no desembarque da Normandia. Cioso da sua privacidade, o escritor raramente apareceu em público recusando sempre o reconhecimento.
Para além de «Uma Agulha no Palheiro», Salinger publicou ainda «Franny & Zooey», em 1961, e«Hapworth 16, 1924», em 1965, deixando, deste então, de editar qualquer obra.


Resumo da Semana