Aconteu
Crise atinge trabalhadores por conta própria

Image 8417

Portugal foi o segundo país da União Europeia que perdeu mais trabalhadores por conta própria desde 2008, segundo revela um estudo da Federação Nacional de Associações de Trabalhadores Autónomos de Espanha.

O documento, divulgado dia 23, constata que o nosso País perdeu 16,1 por cento destes profissionais, percentagem só ultrapassada pela Irlanda que, no mesmo período entre Março de 2008 e Março último, registou uma descida de 18,8 por cento.

Em termos absolutos, a Espanha, com uma quebra de 14,5 por cento (a terceira maior da UE), foi a economia que levou à falência mais trabalhadores por conta própria (485 mil), em especial na construção civil, onde se perderam mais de um terço dos postos de trabalho.

Em Portugal o número de trabalhadores por conta própria caiu de 1 213 100 para 1 017 600, ou seja, uma diminuição de 195 500. No conjunto da UE, 12 países viram diminuir esta categoria de trabalhadores, enquanto os restantes registaram aumentos.


SJ repudia espionagem a jornalista

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) repudiou, dia 27, a obtenção de uma listagem das comunicações telefónicas do jornalista Nuno Simas, em determinado período, pelos Serviços de Informações Estratégicas de Defesa (SIED).

Reagindo a uma notícia publicada por um semanário nacional, o Sindicato exige a cabal investigação do caso, notando que tal violação dos direitos só foi possível devido à lei sobre conservação de dados de telecomunicações, cuja revisão defende.

O SJ considera que o registo sistemático e conservação de dados como a origem, destino e localização de chamadas telefónicas e mensagens, e a possibilidade da sua transmissão a autoridades judiciais e policiais constituem uma ameaça à garantia constitucional do sigilo profissional dos jornalistas.

Por sua vez, o jornalista Nuno Simas revelou, na terça-feira, que vai apresentar uma queixa-crime ao Ministério Público por devassa da vida privada.


General Giap completou 100 anos

Image 8418

O herói da guerra do Vietname, Vo Nguyen Giap, completou 100 anos de vida em 25 de Agosto. Actualmente internado num hospital em Hanói, o general revolucionário aderiu ao partido comunista em 1939, tornando-se colaborador próximo de Ho Chi Minh. Em 1944 é um dos fundadores do Exército Popular Vietnamita, comandando em 1954 a célebre batalha de Dien Bien Phu, que pôs fim ao domínio francês e conduziu à criação do Vietname do Norte.

O nome de Giap, considerado um dos maiores estrategas militares do século XX, ficou para sempre ligado à derrota militar dos Estados Unidos, na guerra iniciada em 1960, e à conquista da independência e unificação do país em 1975.


Maria João Pires brilha nos «Proms» da <i>BBC</i>

Image 8419

A pianista Maria João Pires foi a figura central do programa de sábado, 27, dos Concertos Promenade da BBC, em Londres, onde interpretou o último Concerto para piano de Mozart, acompanhada pela Orquestra da Cidade de Zurique e o maestro David Zinman.

A presença de Maria João Pires na capital britânica integra-se na digressão europeia que a pianista vai cumprir ao longo dos próximos meses em salas de concerto do Reino Unido, Espanha, Itália, Suíça, Alemanha e Áustria, país onde já esteve no passado dia 12 de Agosto no Festival de Salzburgo.

Maria João Pires é considerada pela crítica especializada uma das mais importantes intérpretes de Mozart da actualidade.


O passado nazi do fundador do <i>Ikea</i>

Uma investigação da jornalista sueca Elisabeth Asbrink, editada em livro na passada semana, confirma não só as ligações, em parte já conhecidas, do multimilionário Ingvar Kamprad ao nazismo, como vem revelar que o fundador do Ikea foi membro activo Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores (SSS na sigla em sueco).

Responsável pelo recrutamento de novos membros, a actividade de Kamprad era tal que os próprios serviços suecos registaram a sua participação empenhada no movimento nazi.

A jornalista determinou ainda que o multimilionário, hoje com 88 anos, manteve a ligação com o partido nazi sueco e, em particular, com o seu líder, Per Engdahl, muito depois de terminada a II Guerra e quando as atrocidades cometidas por Hitler já eram publicamente conhecidas. Em 1950, por exemplo, esteve no casamento de Engdahl e escreveu-lhe uma carta em que manifestava o seu orgulho no partido nazi.


Strauss-Kahn sai em liberdade

O juiz Michael Obus retirou, dia 23, todas as acusações feitas em Maio contra o ex-director do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn por agressão sexual e tentativa de violação.

Obus aceitou a recomendação da Procuradoria de Nova Iorque e abandonou as sete acusações formuladas contra Strauss-Kahn após a denúncia apresentada pela alegada vítima Nafissatou Diallo.

O político e economista francês recuperou assim a liberdade, podendo regressar a França, onde o esperam novas investigações no caso «Tristane Banon», uma escritora que também o acusa de agressão sexual.



Resumo da Semana
Frases