Aconteu
«Porquinho» para Cavaco Silva

A Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos da Região Autónoma da Madeira (ARPIRAM), num gesto de apurado sentido de humor, enviou ao Presidente da República, no dia 27 de Janeiro, um «porquinho mealheiro» cheio de moedas de um cêntimo, acompanhado de uma carta aberta onde se afirma que os reformados e os pensionistas, «depois de uma vida árdua de trabalho, e cumpridas as suas obrigações, merecem o devido reconhecimento e o necessário apoio para uma vida digna».

Neste sentido, «e porque o cidadão que desempenha o mais alto cargo da Nação não pode abdicar da sua dignidade, só porque aufere rendimentos que são manifestamente insuficientes para cobrir as suas reais necessidade», a ARPIRAM enviou a Cavaco Silva «um modesto donativo», o qual se espera que «possa contribuir para fazer face às despesas e às necessidades que, tal como qualquer outro cidadãos português, tem que enfrentar no dia-a-dia». Desconhece-se a reacção de Cavaco Silva.


Declarações inadmissíveis

O Partido Ecologista «Os Verdes» (PEV) manifestou-se «escandalizado» com as declarações proferidas por responsáveis da EDP relativas ao acidente nas obras da Barragem de Foz Tua, em que morreram três trabalhadores.

«Numa atitude despudorada e desonesta, a EDP tenta fazer uma associação entre este acidente e o acidente ocorrido em Fevereiro de 2007 na Linha do Tua, atribuindo-lhes “causas naturais"», critica, em nota de imprensa, o PEV, acusando a empresa de «lavar as mãos das suas responsabilidades», em matéria de segurança no trabalho, e «esconder o facto de que este é já o terceiro acidente directamente relacionado com a construção da barragem».

«Estando a EDP a levar a cabo rebentamentos na zona, que as populações testemunham, a empresa tinha por obrigação reforçar as medidas de segurança no local visto que estes rebentamentos, que nada têm de natural, criam instabilidades de ordem diversa nas zonas de encosta», recordam os ecologistas.


«12 Fugas das Prisões de Salazar»

A União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), em parceria com a Editorial «Avante!» e a Câmara de Peniche, promoveu, no dia 28 de Janeiro, na Capela de Santa Bárbara, na Fortaleza de Peniche, a apresentação do livro «12 Fugas das Prisões de Salazar», de autoria de Jaime Serra.

Uma obra, como esclareceu o autor, de «grande oportunidade para o esclarecimento das actuais e futuras gerações». «O tipo de organização que estas fugas exigiam, quer dentro das cadeias, quer no seu exterior, implicava a existência de uma organização política clandestina no exterior. Só o PCP, pelas suas características de Partido revolucionário da classe operária, enfrentando a brutalidade da repressão fascista, com revolucionários profissionais, vivendo na clandestinidade, estava em condições de o fazer», afirmou Jaime Serra, explicando que, no interior das cadeias, «a preparação de uma fuga implicava a formação de um pequeno organismo composto pelos camaradas mais responsáveis e mais bem preparados».

Quando se chegava à concretização de um plano de fuga exequível, continuou, «montava-se uma ligação com o Partido no exterior, por formas secretas e cifradas, com vista à coordenação das acções a realizar, tanto no interior como no exterior».

Para além do presidente da Câmara de Peniche, António José Correia, interveio ainda Marília Villaverde Cabral, coordenadora da URAP. «Esta iniciativa é também uma pequena homenagem ao revolucionário, ao protagonista de algumas destas fugas, que, correndo o risco da sua própria vida, queria continuar a lutar», disse.


Homenagem a António Gaio

No dia 22 de Janeiro, o Centro Multimeios de Espinho acolheu uma sessão de homenagem a António Gaio, grande personalidade do século XX, que esteve sempre ligado ao desporto, à cultura e à política, tendo integrado, como independente, as listas da FEPU, APU e CDU. António Gaio é um dos maiores vultos de Espinho; mantendo a sua jovialidade granjeia da simpatia de todos, sobretudo dos mais jovens, que com ele aprenderam a arte do cinema de animação. A iniciativa foi promovida pela Associação Académica de Espinho, pelo Sporting Clube de Espinho, pela Cooperativa Nascente, pela Fundação Navegar e pela Câmara de Espinho.

No Museu Municipal de Espinho está patente, até ao dia 11 de Março, uma exposição sobre António Gaio.


Cuba nos «Saberes e Sabores»

De 24 a 29 de Janeiro, realizou-se, no Pavilhão Municipal do Alto do Moinho, no Seixal, o V Encontro Intercultural «Saberes e Sabores», que, como habitualmente, contou com a presença, entre muitas outras entidades e organizações, da Associação de Amizade Portugal-Cuba, que trouxe àquele espaço uma exposição e outros materiais de campanha, onde se exigiu o fim do bloqueio a Cuba e a libertação dos Cinco patriotas presos nos EUA. No local, Armanda Fonseca, presidente da Associação, anunciou um conjunto de iniciativas já para Março e Abril.



Resumo da Semana
Frases