• Alexandre Araújo
    Membro do Secretariado

A Festa demonstra a capacidade de realização dos comunistas
Não há Festa como esta!

Esta semana apresentamos os traços essenciais da 36.ª edição da Festa do Avante!. Entramos numa nova fase em que se acelera toda a preparação da Festa até que no próximo dia 7 de Setembro as portas da Quinta da Atalaia se abrirão para acolher os milhares de visitantes que não dispensam estes três dias de convívio, de solidariedade e de luta para retemperarem forças para o ano que aí vem.

Image 10971

Acontecimento incontornável na vida politica e cultural no nosso País, a Festa do Avante!, Festa de Abril que o povo, os trabalhadores e a juventude tornaram como sua, constitui uma importante demonstração da capacidade de realização dos comunistas portugueses. A Festa do Avante! constitui um momento alto na luta de resistência à política de direita, uma afirmação de determinação de todos aqueles que lutam por uma sociedade mais justa, na afirmação dos valores e projecto do PCP.

Erguida em milhares de horas de trabalho voluntário, fruto da militância de milhares de homens, mulheres e jovens que se entregam com dedicação às múltiplas tarefas necessárias e indispensáveis à sua realização: a sua construção, a preparação dos conteúdos, a mobilização para garantir todos dos aspectos do seu funcionamento, a divulgação, a venda da EP’s, aspecto essencial para garantir o seu êxito. A presença na Festa do Avante! de todas as organizações regionais do PCP, de norte a sul, regiões autónomas e Emigração são o retrato de Portugal, das suas realidades regionais, do seu artesanato e gastronomia, mas também do Portugal que trabalha e luta, uma mostra da intensa actividade que o PCP desenvolve.

Destaque para a exposição que, no Pavilhão Central, será dedicada à situação do País decorrente da ofensiva que as troikas nacional e internacional estão a impor com pacto de agressão e o seu projecto de aumento da exploração e empobrecimento dos trabalhadores e do povo português, ao serviço dos interesses do grande capital. Uma exposição que denunciará e evidenciará que mais de um ano passado sobre o pacto de agressão, o País está mais empobrecido e dependente, num rumo de declínio económico e retrocesso social que é preciso inverter; que destacará a projecção das propostas do PCP para uma política patriótica e de esquerda e a importância da realização do XIX Congresso do Partido, sob o lema Democracia e Socialismo – Os valores de Abril no futuro de Portugal, momento de incontornável significado na afirmação do PCP e de reforço da sua organização.

Temas que terão reflexo e tratamento nas mais de três dezenas de debates que se realizarão ao longo dos três dias de Festa e que não deixarão de ser abordados pelo Secretário-geral do Partido no domingo, no grande comício da Festa.

 

Espaço de alegria e cultura

 

Também no Pavilhão Central uma exposição de fotografia dedicada ao trabalho e aos trabalhadores procura valorizar e dignificar os trabalhadores portugueses e de todo o mundo. Uma exposição que dá testemunho de uma verdade essencial, sem o trabalho e sem os trabalhadores e as suas lutas não haveria nem riqueza criada, nem progresso económicos e social. Uma exposição tão mais actual quanto nos dias de hoje a desvalorização do trabalho e o brutal ataque a direito e conquistas dos trabalhadores são um intolerável retrocesso social.

Serão evocados em grandes painéis temáticos Ary dos Santos e Adriano Correia de Oliveira a propósito dos 75 e 70 anos dos seus nascimentos, respectivamente; Bento Gonçalves nos 100 anos do seu nascimento e dos 70 anos do seu assassinato no Campo do Tarrafal; e os 50 anos da Rádio Portugal Livre. No espaço das artes o mote principal serão os 75 anos da pintura Guernica, uma das mais notáveis obras do século XX, uma das mais implorantes expressões de arte politica.

No Espaço Internacional, a solidariedade, a cooperação e a luta dos povos de todo o mundo face à crise do capitalismo e à violenta ofensiva do imperialismo estará em evidência.

O programa da Festa do Avante! que pela sua variedade é uma marca distintiva e pela constante inovação e renovação, constitui um elemento de atracção para todos os que a visitam ano após ano ou para aqueles que a procuram pela primeira vez. Um programa em que se destacam os espectáculos nos seus 10 palcos e outros espaços de animação e onde, no Palco 25 Abril, a Festa volta a abrir com um espectáculo que pela sua qualidade e singularidade não deixar indiferente ninguém que a ele assistir.

A presença do Teatro, com a Companhia de Teatro de Almada, do Teatro dos Aloés e d' O Bando, entre outras. O Cinema português, com mais de 20 obras de realizadores portugueses, entre os quais João Canijo, Edgar Pêra, José Filipe Costa e João Salaviza.

O espaço da Ciência, abordando as questões da alimentação sob o lema Mudar a tempo para garantir alimento, com apresentação de experiências e demonstrações científicas.

O Desporto com milhares de atletas e dezenas de modalidades em representação de mais de 300 colectividades em que se destaca a já tradicional corrida, este ano com cerca de 12 Km e em que o numero de participantes não tem parado de crescer.

O Palco Novos Valores, com as bandas vencedoras dos concursos promovidos pela JCP, em todo o País. A inscrição de cerca 200 bandas e a realização de 40 eliminatórias, afirmam este concurso como um dos maiores promovidos no nosso País, abrindo espaço à afirmação de novos projectos.

A Festa do Livro onde um dos lançamentos que marcará a Festa deste ano é a tradução portuguesa de José Barata Moura do Tomo IV de O Capital, de Karl Marx.

Pelo empenho que colocamos na sua realização, pela receptividade que estamos certos a Festa do Avante! de 2012 continuará a ter junto dos trabalhadores, da juventude e do povo português estamos certos que poderemos continuar a afirmar que Não há Festa como esta!.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: