• Filipe Diniz

O CT Vitória no <i>Lisboa Open House</i>

No primeiro fim-de semana de Outubro, o Centro de Trabalho Vitória esteve parcialmente aberto a visitas de pessoas interessadas em conhecer melhor um dos edifícios mais emblemáticos da cidade de Lisboa.

A proposta partiu da Trienal de Arquitectura de Lisboa, que propôs que o CT Vitória integrasse um conjunto de cerca de 50 edifícios que seriam visitados no quadro da iniciativa Open House, que se realizou agora pela primeira vez em Lisboa. Esta iniciativa abrangia já doze outras cidades tão importantes do ponto de vista do seu património arquitectónico como Londres, Barcelona, Roma ou Nova Iorque.

Foi preparada pelo subsector dos Arquitectos do Sector Intelectual da ORL uma visita guiada com o tema «Do Hotel Vitória ao Centro de Trabalho Vitória». Na visita foi dada informação sobre o autor do projecto, o arquitecto Cassiano Branco, uma das personalidades mais notáveis do modernismo em Portugal; sobre a notável e audaciosa inovação formal que este edifício representa; sobre o modo e as condições em que se insere no conjunto edificado da Avenida da Liberdade. Foi feito um breve historial do edifício enquanto «Hotel Victória», função que desempenhou entre 1936 e meados dos anos 60, e da sua decadência e abandono até 1975. Em Março de 1975 o PCP aluga-o, e o edifício entra numa nova fase histórica, a de Centro de Trabalho Vitória.

Essa nova vida não resulta apenas da intensa actividade política e cultural que desde então tem lugar no CT Vitória. Adquirindo o edifício em 1984 (graças à campanha «60 mil contos para o Vitória»), o PCP empreendeu desde então diversas obras de recuperação e reintegração do edifício no seu desenho original, bastante degradado sobretudo a partir dos anos 60. Nas obras dos anos 80 é feito um restauro de toda a fachada, repondo a pala circular sobre a entrada, que fora destruída, e reconstruindo a pérgola do terraço, que ruíra no sismo de 1969. Nas obras dos anos 90 todo o piso térreo é recuperado na base dos elementos decorativos de origem. Com a passagem a Centro de Trabalho Vitória o edifício não só ganhou uma nova e intensa vida, como recuperou toda a dignidade de um dos mais singulares edifícios da cidade de Lisboa.

É compreensível assim a grande afluência de público – cerca de mil visitantes – que se verificou nos dois dias desta iniciativa. Percorridos os espaços que foram abertos (piso térreo, duas salas e varanda do 1.º andar, terraço) os visitantes terão tido a experiência de uma arquitectura e de uma vista notáveis. Mas alguma coisa terão sentido também do que significa para este edifício ser hoje uma das sedes do PCP, desde a forma como foram recebidos até aos episódios da vida política e cultural e da luta de massas que o Vitória tem testemunhado ao longo destes 37 anos e que lhes foram lembrados, e passando pela exposição sobre os 75 Anos de Guernica, patente no Salão.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: