Fraude em duodécimos

A proposta do Governo para pagamento de metade dos subsídios de férias e de Natal de 2013 em duodécimos, no sector privado, foi classificada pela CGTP-IN como «uma fraude monumental». Arménio Carlos salientou que a medida visa reduzir os rendimentos dos trabalhadores e das suas famílias. «Esta é uma medida que não faz nenhum sentido», pois «o grande problema está no aumento dos impostos», comentou aos jornalistas o Secretário-geral da Intersindical, à saída da comissão parlamentar de Segurança Social e Trabalho, no dia 28 de Dezembro. Lembrou que o Executivo chegou a propor o aumento da taxa social única em sete pontos percentuais, para os trabalhadores, notando que «aquilo que agora o Governo apresenta é a mesma coisa, para atingir o mesmo objectivo», pois quer criar uma sobretaxa de 3,5 por cento, no IRS, e reduz o número de escalões, o que «vai dar a tal redução de rendimentos de sete por cento, ou mais».

Disfarçar esta redução com os duodécimos dos subsídios não altera o essencial. «Se, porventura, a hipocrisia e o cinismo pagassem imposto, já estaria resolvido o problema do défice e da dívida», criticou o dirigente.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: