A população de Odivelas pode contar com a CDU
CDU quer acabar com «teia de promiscuidade»
Um novo ciclo para Odivelas

Fernanda Mateus, da Comissão Política do PCP, é a cabeça de lista da CDU à Câmara de Odivelas, que promete «romper com mais de 14 anos de gestão do PS».

Image 12596

No primeiro acto público em que foi apresentada, que aconteceu anteontem no «coração» da cidade, a candidata prometeu «romper com mais de 14 anos de gestão do PS», oito dos quais com Susana Amador, «caracterizada pelo recurso sistemático a parcerias público-privadas e pela entrega a empresas privadas de responsabilidades em diversos domínios municipais».

«Este modelo privatizador é sempre apresentado por Susana Amador e pela gestão PS/PSD como a “solução milagrosa” para os problemas das populações e como a “resposta necessária” ao desenvolvimento do concelho de Odivelas», lembrou, dando como exemplo as parcerias público-privadas na Escola dos Apréstimos, na Ramada, que «custará ao município três vezes mais do que escolas da mesma tipologia».

As críticas da CDU estendem-se ainda à entrega dos terrenos do Odivelas Futebol Clube a um grande clube nacional, o que não contribuirá «para a promoção da prática desportiva dos jovens deste concelho, nem tão pouco para apoio às estruturas desportivas locais», e à construção de um Pavilhão Municipal Multiusos, «mais uma parceria público-privada que custa cinco mil euros por dia aos munícipes de Odivelas».

Sobre esta matéria, Fernanda Mateus condenou ainda a entrega da água a privados por 30 anos, assim como a recolha do lixo. «O que o PS não resolveu em mais de 14 anos, e Susana Amador em oito, querem agora resolver à pressa a oito meses das eleições autárquicas. Mas afinal qual é a pressa?», interrogou a candidata da CDU, condenando o facto de a Câmara de Odivelas estar «transformada num “escritório de negócios”, uma teia de promiscuidade entre a Câmara PS/PSD e os interesses privados».

Protagonizar a mudança

Na sua intervenção, Fernanda Mateus falou ainda da «degradação urbana» do concelho, designadamente na zona mais antiga da cidade de Odivelas, da «falta de requalificação dos espaços públicos e da zona ribeirinha», da «valorização do património histórico» e do «apoio à dinamização do comércio local». «Estamos certos que a população de Odivelas se identifica com as críticas que fazemos e confiará na CDU como a força capaz de protagonizar a mudança necessária para abrir um novo ciclo na vida deste jovem município», salientou, informando que em breve serão anunciados os restantes membros da Coligação, que integra o PCP, o Partido Ecologista «Os Verdes», a Associação Intervenção Democrática, e envolve muitos independentes. «Uma equipa que domina as potencialidades que uma gestão municipal colocada ao serviço da população pode proporcionar na elevação da qualidade de vida e bem-estar das populações do concelho», acrescentou a cabeça de lista à autarquia.

Defender as pessoas

A terminar, Fernanda Mateus prometeu «reverter o processo de privatização da água» e «defender a continuação dos SMAS com a assumpção de responsabilidades por parte da Câmara de Odivelas», renegociar «as actuais parcerias público-privadas no sentido de minimizar os impactos financeiros para o município e para as populações» e impedir «a privatização da recolha dos resíduos sólidos urbanos».

A CDU vai ainda promover «a requalificação das escolas e jardins-de-infância da responsabilidade da Câmara Municipal», retomar «projectos abandonados, como por exemplo, o da reconversão e remodelação do Mercado de Odivelas e o incremento da prática desportiva, apoiando o movimento associativo», promover «o respeito pelo funcionamento democrático dos órgãos autárquicos» e a «valorização do papel dos trabalhadores do município e das freguesias», desenvolver «processos de decisão amplamente participados pela população, pelos diversos agentes económicos, sociais, culturais, desportivos e religiosos» e apoiar «o papel e a acção das juntas de freguesia», lutando para que «os objectivos do Governo de extinção das freguesias (Caneças, Famões e Olival Basto) não se concretizem».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: