Aconteu
Dívida pública sobe para 130% do PIB

A dívida pública terá alcançado os 129,4 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) no final de 2013, segundo estimativas do próprio governo, reveladas dia 31, pelo secretário de Estado do Orçamento, Hélder Reis.

Falando na audição na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública, o governante reconheceu que a dívida do Estado ultrapassará a previsão de 127,8 por cento do PIB, inscrita no Orçamento do Estado para 2014, indicando que os «esforços» de consolidação orçamental «ainda não permitiram a redução da dívida pública».

Note-se que o Orçamento do Estado para 2014, partindo da previsão anterior, estipulava a redução da dívida para 126,7 por cento do PIB até ao final do ano em curso.


Pobreza vitima milhões de crianças

Cerca de 6,6 milhões de crianças com menos de cinco anos morreram em 2012, a maioria de causas evitáveis, revelou, dia 30, a UNICEF, no seu relatório anual sobre «A Situação Mundial da Infância em Números».

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), 15 por cento das crianças do mundo são obrigadas a trabalhar o que «compromete o seu direito à protecção contra a exploração económica e infringe o direito de aprender e de brincar que lhes assiste».

Outro exemplo de violação dos direitos das crianças é o facto de 11 por cento de raparigas casarem antes dos 15 anos, pondo em causa a sua saúde, educação e protecção.

O relatório estima que existam 2,2 mil milhões de crianças em situação de carência e exclusão no mundo e pelo menos 250 milhões que não estão a aprender a ler.

Chamando a atenção para «uma crise da Educação», o documento revela que uma em cada quatro crianças nos países pobres não consegue ler uma frase, percentagem que se eleva para 40 por cento nos países da África Subsaariana.


Porto Editora edita inédito de Saramago

O romance inédito de José Saramago «Alabardas, Alabardas, Espingardas, Espingardas» será editado antes do Verão pela Porto Editora, que passa a publicar as obras do Nobel português da Literatura.

A iniciativa foi divulgada dia 29, após a editora ter chegado a acordo com as herdeiras do escritor, que, na semana anterior, tinham anunciado o fim da ligação de mais de 30 anos com Editorial Caminho, actualmente do grupo Leya.

As herdeiras elogiam o facto de a Fundação Círculo de Leitores, que faz parte do Porto Editora, ter criado o Prémio Literário José Saramago, e sublinham o «impulso» dado pela fundação à sua carreira literária, com a edição de «Viagem a Portugal» em 1981.


Unesco distingue cineasta portuguesa

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) distinguiu o filme «Kali, O Pequeno Vampiro», de Regina Pessoa, como uma das melhores curtas-metragens do último ano.

Segundo informou, dia 30, o produtor Abi Feijó, o filme premiado será exibido em Paris, no âmbito do Panorama of Golden Nights, entre os dias 16 a 18 de Junho.

No certame serão apresentadas 48 curtas-metragens de 25 países premiadas por academias de cinema de todo o mundo em 2013.

O mais recente filme de Regina Pessoa, e a sua terceira curta-metragem de animação, soma mais de 20 prémios em festivais internacionais, tendo sido premiado pela Academia Portuguesa de Cinema e nomeado para os Annie (Óscares da animação) e para o Cartoon d'Or.


Salazar manipulou emigração

O investigador Vítor Pereira, autor de um estudo sobre emigração portuguesa para França, concluiu que o Estado Novo permitiu e «manipulou», através da PIDE, os fluxos migrantes clandestinos que totalizaram mais de 900 mil pessoas entre 1957 e 1974.

Em declarações à Lusa, dia 29, o autor, professor auxiliar da Universidade de Pau et des Pays de l’Adour, em França, afirma que a emigração clandestina era «a melhor solução» para Salazar, que fazia transparecer que se tratava de um fluxo impossível de controlar, «fabricando» ao mesmo tempo um bode expiatório responsável pelo êxodo.

«As pessoas quando passavam “a salto” pagavam 10 ou 15 contos, que era muito dinheiro para a época». O regime culpava os «passadores», mas o facto é que nunca os combateu de forma eficaz, pelo contrário, nota o investigador que estudou o envolvimento e influência da PIDE em França e o papel dos «passadores» que mantinham o negócio.

O livro, intitulado «A Ditadura de Salazar e a Emigração», tem a chancela da editora Temas e Debates/Círculo de Leitores.


Suicídios aumentam em Espanha

O número de suicídios em Espanha aumentou 11,3 por cento em 2012, em relação ao ano anterior.

De acordo com dados divulgados, dia 31, pelo Instituto Nacional de Estatística, 3539 pessoas puseram termo à própria vida, número que supera as vítimas mortais em acidentes de viação. De resto, a mortalidade no país aumentou 3,9 por cento em relação a 2011, totalizando 402 950 óbitos.



Resumo da Semana
Frases