Entrevista a Christopher Fonseca
Só os comunistas podem dar resposta<br> aos problemas do povo

Christopher Fonseca, membro do Conselho Nacional do Partido Comunista da Índia e secretário-geral do Congresso dos Sindicatos de Toda a Índia (AITUC) em Goa, esteve na Festa do Avante!. Em declarações ao nosso jornal, este dirigente da AITUC – a mais antiga das federações sindicais na Índia (foi fundada em 1920) e uma das cinco maiores do país, com 3,6 milhões de membros, desde sempre com fortes ligações ao Partido Comunista da Índia – manifesta a sua convicção de que as forças de esquerda, apesar dos maus resultados obtidos nas últimas eleições, vão conseguir reforçar a sua unidade e desempenhar um papel determinante no país.



Ruth Tapia, da Frente Sandinista, em entrevista
«Façamos avançar as lutas<br>dos povos de todo o mundo!»

Uma responsável da Frente Sandinista de Libertação Nacional, Ruth Tapia Roq, participou da 38.ª Festa do Avante!. Embaixadora da Nicarágua em França e em Portugal, mostrou-se encantada com a energia dos comunistas portugueses, falou do desenvolvimento do seu país – o combate contra a pobreza está a ser ganho, a saúde e a educação são gratuitas, abre-se estradas, o Canal é uma esperança –, elogiou os esforços de integração na América Latina, defendeu uma frente mundial anti-imperialista para fazer avançar a luta dos povos.



Venda a saldo de empresas portuguesas
Garrote da dívida externa<br>continua a aumentar

Com a implosão do grupo BES, era de prever que aparecessem os «abutres» com o objetivo de comprar as melhores empresas a preços de saldo. Isso aconteceu e vai ter a ajuda deste Governo. Paulo Macedo, em declarações aos órgãos de comunicação social, já afirmou que o Governo não levantaria qualquer obstáculo à venda da Espírito Santo Saúde a um grupo mexicano, embora esta empresa tenha uma importância grande na área da saúde em Portugal, sendo mesmo responsável pela gestão do hospital público de Loures. O mesmo sucede com a seguradora Tranquilidade, objeto também da cobiça de vários grupos estrangeiros que a querem comprar por apenas 50 milhões de euros, certamente um preço de saldo.