A campanha de fundos corre bem no distrito do Porto
Sexto convívio anual no Porto
Imprensa e fundos são tarefas cruciais

Cerca de uma centena de militantes do PCP participaram no convívio dos camaradas com tarefas de fundos e difusores do Avante!, realizada no passado dia 29 no Centro de Trabalho da Boavista, no Porto.

Image 18272

Esta iniciativa, que se realiza anualmente, vai já na sua sexta edição. Este ano, como revelou José Moreira, membro da Direcção da Organização Regional do Porto do PCP que assume a responsabilidade dos fundos, ela foi alargada a todos quantos têm participado activamente na campanha de fundos para aquisição da Quinta do Cabo, espaço que alargará a Festa do Avante!.

Apesar do elevado número de militantes ali presentes, muitos mais são os que assumem tais tarefas que, como referiu na sua intervenção Alexandre Araújo, do Secretariado do Comité Central e responsável pela Festa, não sendo sempre «suficientemente valorizadas», são precisamente aquelas que assumem papel crucial no assegurar da independência financeira do Partido e, naturalmente, na sua independência política e ideológica». José Moreira valorizou ainda o que esta iniciativa permite, todos os anos, de reforço dos «laços de amizade e camaradagem» e troca de experiências entre comunistas que, desenvolvendo a sua militância em diferentes organizações, partilham simultaneamente dificuldades e obstáculos, mas também soluções e abordagens, enriquecendo o resultado das suas tarefas.

Este convívio, como também vem sendo habitual, foi «enriquecido» com um lanche, também ele fruto de trabalho militante, e, após as intervenções políticas, com um momento musical. Na sua intervenção, Alexandre Araújo valorizou a iniciativa, referindo-se às tarefas dos militantes comunistas ali presentes como sendo «expressão concreta da militância comunista», e que demonstram a disponibilidade e entrega, tendo como única recompensa a «satisfação de contribuir na luta organizada deste grande colectivo que é o Partido Comunista Português».

Campanhas, lutas, eleições

O membro do Secretariado elencou as diversas dificuldades e objectivos que se colocam a todos os militantes, designadamente a necessidade premente do reforço financeiro do Partido, o incremento da difusão e venda do Avante!, a divulgação da Festa do Avante! e a venda antecipada da EP. Quanto à campanha nacional de fundos para aquisição da Quinta do Cabo, ela está a ter um «bom acolhimento por todo o País», devendo continuar a envolver o maior número de pessoas possível.

A «campanha do terreno», como diziam alguns dos presentes, também está a dar bons resultados no distrito do Porto. Este foi, aliás, um dos factos que mais interesse despertou na iniciativa, comprovado pela atenção que muitos deram ao cartaz afixado na recepção do CT da Boavista e ao gráfico que nele constava relatando os montantes já conseguidos por cada uma das organizações da ORP.

Alexandre Araújo referiu-se ainda às próximas eleições legislativas sublinhando a sua importância «para a ruptura com a política de direita, para afirmar que há soluções para o país» e pela «afirmação da política patriótica e de esquerda» que o PCP propõe. O voto dos portugueses, acrescentou, trará a «confirmação da derrota deste Governo que já foi derrotado pela luta dos trabalhadores e do povo» e que se aguenta apenas «seguro por cordéis pelo Presidente da República».

Contudo, acrescentou o membro do Secretariado, «não basta derrotar este Governo: é preciso derrotar a política de direita», alertando para que não se deixe que «os portugueses vão ao engano em falsas soluções que, em altura de eleições, se multiplicam». É o que sucede com o PS, que se «procura afirmar como uma alternativa, mas que tem sido, ao longo da sua história, com o PSD e CDS que se tem aliado na concretização da política de direita no nosso País».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: