Greves por salários melhores

Teve adesão praticamente total a greve de 24 horas, no dia 5, sexta-feira, na fábrica de travões do Grupo CBI (Chassis Brakes International, antiga Robert Bosch), em Alferrarede, Abrantes, onde a produção parou. O SITE CSRA, ao informar que nos primeiros três turnos aderiram à greve 99 por cento dos 115 operários, lembrou que esta jornada se inscreve na luta teve por aumentos salariais dignos, pelo pagamento do trabalho suplementar de forma igual para todos e pelo fim da discriminação sindical.

Uma greve de 48 horas, na Covibus, começou na segunda-feira com a adesão «esmagadora» de 33 dos 40 trabalhadores, que se concentraram frente à CM da Covilhã e junto à delegação da Autoridade para as Condições do Trabalho, informou a Fectrans/CGTP-IN. O pessoal daquela transportadora do grupo espanhol Avanza reclama aumento dos salários (inferiores a 600 euros) e do subsídio de refeição e a integração permanente nos quadros de alguns trabalhadores que têm estado com sucessivos contratos a prazo. Um dirigente do sindicato do sector (STRUP) explicou à Rádio Cova da Beira que os trabalhadores da Covibus ganham, em média, menos 200 euros do que qualquer trabalhador de empresas semelhantes.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: