JCP apresenta soluções
Garantir um futuro digno em Portugal

Em nota de imprensa, a Comissão Regional de Setúbal da JCP saudou os mais de 71 mil eleitores da Península de Setúbal que confiaram o seu voto à Coligação PCP-PEV, assim como a campanha realizada, naquela região, pela Juventude CDU, em 32 escolas secundárias, nas duas maiores instituições públicas de Ensino Superior, em seis escolas profissionais e em nove locais de trabalho, mas também nas principais festas populares, nas praias e nas ruas.

A campanha ficou ainda marcada por momentos de convívio e confraternização, sendo disso exemplo a Iniciativa Regional realizada no Barreiro, dia 25 de Setembro, com vários concertos e a participação de mais de 200 jovens.

«O voto que a juventude confiou à CDU não será traído. É um voto para concretizar as medidas que apresentámos nestas eleições para a Assembleia da República», salienta a JCP, considerando como prioridade a gratuitidade dos manuais escolares, bem como do passe escolar; o retomar imediato das obras nas escolas secundárias João de Barros (Corroios/Seixal), Monte da Caparica (Almada) e Jorge Peixinho (Montijo); a realização de obras nas escolas secundárias que carecem de intervenção imediata, como por exemplo na Alfredo da Silva, no Barreiro; a construção de pavilhões desportivos nas escolas secundárias D. Manuel Martins (Setúbal), Casquilhos (Barreiro) e de Palmela.

Os jovens comunistas defendem, de igual forma, um maior investimento para a Educação que permita que existam melhores condições materiais, de aprendizagem e humanas; o fim das propinas e a disponibilização de mais bolsas de estudo; a construção da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS); de mais uma cantina e de uma residência universitária no Barreiro; a realização de obras na Escola Superior de Educação do IPS; a contratação de mais funcionários que permita alargar os horários das bibliotecas na FCT e no IPS; um maior investimento na Acção Social Escolar indirecta.

Futuro digno

A JCP reclama, por outro lado, a criação no Campus da Caparica de um Pólo da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa; a criação da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Distrito de Setúbal; o reforço da participação democrática nas escolas profissionais; o alargamento da rede pública de escolas do ensino profissional segundo as necessidades de desenvolvimento económico e social do distrito; a criação de um ensino profissional que responda às necessidades do funcionamento permanente, designadamente despesas de pessoal, despesas fixas de funcionamento, equipamentos e apoios aos estudantes; acabar com os contratos de curta duração, que não têm razão de existir; aumento da fiscalização e aplicação de sanções aos patrões que despedem arbitrariamente, aplicação de sanções fiscais e contributivas a quem recorra a formas de contratação precária.

Por último, os jovens comunistas exigem a conversão dos falsos recibos verdes em contratos de trabalho com direitos; a abertura de concursos para a contratação de trabalhadores para suprimir necessidades permanentes dos serviços públicos; aumento dos salários, incluindo o aumento do salário mínimo nacionais para 600 euros em início de 2016; a revogação das normas gravosas do Código de Trabalho e da Lei Geral do Trabalho em funções públicas.


 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: