Barreiro evoca 3 de Maio de 1970

A União de Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN promoveu, anteontem, no Alto do Seixalinho, uma manifestação para recordar os acontecimentos passados no Barreiro a 3 de Maio de 1970, articulando «a luta e a resistência ao fascismo» com «os objectivos da luta actual».
Naquele dia, há 46 anos, foram presos diversos resistentes antifascistas no Barreiro e no distrito de Setúbal, após a vitória da oposição nas eleições de 1969.
Na passada terça-feira, o desfile terminou no Largo 3 de Maio, onde interveio Faustino Reis, um dos organizadores da acção realizada em 1970.
Seguiu-se Arménio Carlos, Secretário-geral da CGTP-IN, que no final da iniciativa disse que é preciso «afirmar as nossas propostas de luta» para «construir mais unidade». Referindo-se à nova relação de forças que existe na Assembleia da República, sublinhou que «a melhor forma de garantir uma nova política é participar e intervir».
Arménio Carlos lembrou ainda que a CGTP-IN vai realizar uma semana de luta, de 16 a 20 de Maio, com greves, manifestações e concentrações, pela reposição dos direitos dos trabalhadores. O dia 17 será dedicado às reivindicações da Administração Local.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: