US Setúbal destaca mariscadores

A União dos Sindicatos de Setúbal, numa nota de imprensa a assinalar o dia 28 de Abril, defendeu a necessidade de regularizar e regulamentar a actividade dos mariscadores no Tejo, pois «todos aqueles a quem a vida foi ceifada estavam a tentar arranjar sustento e forma de sobrevivência em tempos difíceis».

Além da regulamentação do marisqueio, a estrutura distrital da CGTP-IN lembra que deve existir na região capacidade para o escoamento do marisco, «de modo a pôr fim a esquemas de compra ilegal, que só servem os interesses de quem compra e distribui, não defendendo aqueles que, arriscando a vida, contribuem para pôr à mesa dos portugueses tão apetecível iguaria».

Devem ser adoptadas medidas de prevenção para evitar a contracção de doenças músculo-esqueléticas (como as tendinites) ou de doenças profissionais e outro tipo, reclamou igualmente a USS.

A União expressou «a sua homenagem a todos os trabalhadores do distrito que, por força de acidentes de trabalho registados nos últimos anos, perderam a vida a trabalhar», referindo os casos de um trabalhador na Portucel, dois na Sovena (Almada), um na Sapec e, mais recentemente, um na Amarsul. A homenagem da União abarca também «os trabalhadores que, em virtude de acidentes de trabalho em várias empresas do distrito, ficaram incapacitados para toda a vida». «De forma simbólica», os dirigentes e funcionários da USS decidiram efectuar um minuto de silêncio naquele dia.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: