Editorial

«Pela defesa, reposição e conquista de direitos dos trabalhadores e do povo»

CONTINUAR
A LUTA

Esta semana o Avante! sai à quarta-feira por uma razão que é motivo de grande regozijo: a reposição do primeiro de quatro feriados retirados pelo governo PSD/CDS, o feriado religioso de amanhã, dia 26, em consequência da luta dos trabalhadores e do povo e da firme intervenção do PCP.

Chegou ao fim a semana de luta decidida pela CGTP-IN e aprovada pelos trabalhadores nas comemorações do 1.º de Maio por todo o País. Foi uma semana de luta que envolveu muitos milhares de trabalhadores nas empresas e na rua em torno da acção reivindicativa; pela defesa, reposição e conquista de direitos.

Foi uma semana de luta que contou com um vasto e diversificado conjunto de acções dos trabalhadores dos sectores público e privado – entre outras, tribunas públicas, concentrações, manifestações e greves – realizadas com grande impacto por todo o País.

Foi uma jornada que mostrou, num quadro político de grande complexidade e exigência, que a luta de massas é factor determinante e decisivo para defender, repor e conquistar direitos e para assegurar a mudança de política que responda às aspirações e interesses dos trabalhadores e do povo e às necessidades de desenvolvimento soberano do País.

Amanhã, concretizar-se-á a reposição do feriado religioso do Corpo de Deus (este ano, a 26 de Maio), a que se vão seguir o 5 de Outubro, 1 de Novembro e 1 de Dezembro. Pela luta fica assim assegurada a devolução de quatro feriados transformados em dias de trabalho não pago pela política de exploração e empobrecimento levada à prática pelo governo PSD/CDS, submetida às imposições da troika (UE, BCE e FMI) e com a cumplicidade activa do ex-Presidente da República.

E o que se diz dos quatro feriados repostos se poderá dizer igualmente das 35 horas de trabalho semanal para os trabalhadores da Administração Pública.

Nenhuma razão pode justificar a não aplicação a todos os trabalhadores da Administração Pública das 35 horas a partir do dia 1 de Julho. Mas, até à cabal concretização deste direito é imprescindível a luta dos trabalhadores para impedir as manobras de diversão em curso por parte do grande capital, de órgãos da comunicação social dominante em articulação com inadmissíveis manobras de chantagem e de pressão por parte do PSD, CDS, União Europeia e Banco Central Europeu.

Luta que é igualmente indispensável para a ruptura com a política de direita e concretização de uma política patriótica e de esquerda. Exigência necessária de mudança em que se integram as recentes iniciativas do PCP sobre a renegociação da dívida, o controlo público da banca e o estudo e preparação da libertação da submissão ao euro.

Nos últimos dias desenvolveram-se outras importantes iniciativas do PCP: visita à Quinta do Cabo, homenagem a Catarina Eufémia, acções em torno da campanha «Mais direitos, mais futuro. Não à precariedade» em Coimbra e em Ovar, a 10.ª Assembleia da Organização Regional de Castelo Branco, que contaram com a participação do Secretário-geral do Partido.

A Campanha Nacional de Fundos, como se assinalou no último número do Avante! e o camarada Jerónimo de Sousa sublinhou na sua deslocação à Quinta do Cabo da passada quinta-feira, atingiu um grande êxito. Com as contribuições recolhidas – a ultrapassarem um milhão e duzentos mil euros – é possível concretizar o compromisso de compra da Quinta do Cabo e realizar as obras necessárias que farão da Festa do Avante!, já este ano, uma Festa maior e melhor a reflectir e projectar com mais força e confiança os valores de Abril no futuro de Portugal.

Mas o êxito da Festa implica a sua cuidada e atempada preparação com particular atenção à divulgação, implantação (com a primeira jornada de trabalho marcada para 4 de Junho) e venda da EP, e com a tomada das medidas de direcção que se tornem necessárias.

Prossegue, entretanto, a acção de reforço do Partido nas direcções definidas: responsabilização de quadros e reforço da capacidade de direcção; organização e intervenção nas empresas e locais de trabalho; recrutamento e integração de novos militantes; acção de contacto com os membros do Partido; quotizações e seu recebimento regular; dinamização das organizações locais; estruturação do trabalho junto de outras camadas, sectores sociais e áreas de intervenção específicas; divulgação da informação, propaganda e imprensa partidária; campanha de divulgação do Avante!

Desenvolve-se também até final de Maio a primeira fase da preparação do XX Congresso que impõe medidas que assegurem a concretização de todos os objectivos e acções planificadas.

Como afirmou o camarada Jerónimo de Sousa no comício em Coimbra na passada semana, «temos pela frente muito trabalho. Temos pela frente muita luta a desenvolver e a travar pela defesa, reposição e conquista de direitos dos trabalhadores e do povo. Neste novo quadro político, estamos agindo, propondo, lutando para servir os trabalhadores, o povo e, sempre e sempre, a estimular a sua participação e a sua luta que em todos os tempos e em todas as circunstâncias mostrou ser o motor que faz avançar a roda da história».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: