Aprovado diploma do PCP
Reforço do combate<br>à diabetes

O reforço das respostas públicas no combate à diabetes, atacando nomeadamente os factores de risco a ela associados, bem como o incremento do diagnóstico precoce e disponibilização do tratamento adequado logo que a doença é detectada, constituem duas das recomendações ao Governo presentes em projecto de resolução do PCP aprovado recentemente pelo Parlamento.

Entre os nove pontos da parte resolutiva do texto, que passou com os votos favoráveis de todas as bancadas à excepção do PSD e CDS que votaram contra, destaque ainda para aquele que pugna pelo alargamento e correcção das insuficiências existentes no Rastreio de Retinopatia Diabética, por forma a ser atingido o maior número possível de pessoas.

Esses foram de resto aspectos muito sublinhados pelo deputado comunista João Ramos, num debate onde chamou a atenção para a particular importância que assume a prevenção e o diagnóstico, dado ser esta uma «doença de elevada morbilidade».

E por isso lamentou que os programas nacionais de acompanhamento de diversas patologias e também o programa da diabetes tenham sido vítimas do desinvestimento no SNS verificado nos últimos anos, com consequências designadamente ao nível do insuficiente número dos seus profissionais. É disso testemunho, por exemplo, segundo João Ramos, o referido programa de rastreio de retinopatia diabética que registou uma redução global de 2013 para 2014 de 17 por cento no número de rastreios realizados.

Daí entender que a grande aposta deve ser dirigida para a prevenção, caminho consistente não só para assegurar «ganhos em saúde para os utentes» como para «melhorar a eficiência do SNS».

Prevenção da doença e promoção da saúde que é ainda inseparável do reforço em meios humanos, técnicos e financeiros na área da saúde pública, realçou o deputado do PCP, anotando ser esta uma vertente que tem de «ser reconhecida e valorizada, particularmente no reforço de profissionais de saúde na Direcção Geral de Saúde, mas também na constituição de equipas multidisciplinares».

Em debate estiveram ainda diplomas sobre a mesma matéria de PS, BE e PAN, todos eles igualmente aprovados. No texto do PS, os deputados comunistas e ecologistas votaram contra o ponto que prevê que o Governo «desafie as autarquias a desenvolver planos municipais e multi-municipais de combate à diabetes».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: