Salários não garantem<br>vida decente

A Confederação Europeia de Sindicatos (CES) manifestou preocupação face à degradação das condições laborais.

Com base no inquérito sobre as condições de trabalho, publicado, dia 17, pela Eurofond, a CES assinala que mais de um terço dos trabalhadores luta com dificuldades para chegar ao fim do mês. «O trabalho já não garante uma vida decente», declarou em comunicado o secretário-geral da organização, Luca Visentini.

Perante tais resultados, Visentini considerou não ser de estranhar que um número crescente de eleitores deixe de acreditar na União Europeia.

«As políticas económicas que tornam os fins de mês difíceis para um terço dos trabalhadores são fundamentalmente nefastas e devem ser radicalmente modificadas».

Na leitura da CES, o inquérito mostra «resultados muito preocupantes que não podem ser dissimulados sob o pretexto de que o mundo do trabalho é cada vez mais complexo».

A confederação exige medidas que impeçam o agravamento desta «situação sombria», por efeito do «aumento incessante do trabalho precário e dos falsos empregos independentes.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: