1785 – Friedrich Schiller escreve<br>a Ode à Alegria

A Ode ou «Hino à Alegria», da autoria do poeta, filósofo, médico e historiador alemão Friedrich Schiller, foi imortalizada por Ludwig van Beethoven, que nela se inspirou para a composição da sua Nona Sinfonia, onde é cantada no quarto movimento. Intitulado inicialmente «Ode à Liberdade», segundo Ludwig Nohl, o nome do poema terá sido alterado pelo próprio Schiller, que substituiu a palavra Freiheit (Liberdade) pela palavra Freude (Alegria) por receio da censura. A essência no entanto permanece, correspondendo às ideias filosóficas do poeta, para quem a alegria está ligada ao desenvolvimento da actividade humana, que um dia destruirá todas as fronteiras e levará à harmonia universal. O mesmo sentimento animou Beethoven, que pelo menos desde 1795 «ensaiou» várias abordagens musicais ao Hino à Alegria, até completar a Nona Sinfonia, escrita de 1822 a 1824 e executada pela primeira vez em 7 de Maio de 1824. Esta obra-prima de Beethoven foi adoptada como hino do Conselho da Europa em 1972 e como hino oficial da União Europeia em 1985. Os ideais da fraternidade e da liberdade, tão caros a Schiller e Beethoven, merecem certamente quem os respeite melhor.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: