Prepara-se em todo o País a manifestação de 28 de Março

A manifestação da juventude trabalhadora do próximo dia 28 de Março em Lisboa (14h30, no Cais do Sodré), convocada pela Interjovem/CGTP-IN, está a ser preparada em todo o País em múltiplas acções em empresas e locais de trabalho com grande concentração de jovens trabalhadores.

A manifestação visa assinalar o Dia Nacional da Juventude e tem como reivindicações centrais o aumento geral dos salários, o fim das normas gravosas do Código do Trabalho, nomeadamente as medidas que promovem os despedimentos e fomentam a precariedade. A Interjovem exige «que a cada posto de trabalho corresponda um vínculo de trabalho efectivo e, também, o fim da subcontratação e do aluguer de mão-de-obra, seja no público ou no privado».

Para além da organização de juventude da CGTP-IN, promotora da manifestação, também a JCP está a mobilizar para essa importante acção de luta, com uma acção própria de contacto com os jovens trabalhadores. Com cartazes e folhetos próprios, a JCP garante que «a precariedade e os baixos salários não são inevitáveis» e que «uma vida melhor para a juventude é possível». No folheto, dá exemplos de lutas travadas em diversos sectores (como os hipermercados, os centros de contacto, a indústria e a administração pública), que comprovam que «é possível defender e conquistar direitos».

Num dos cartazes, os jovens comunistas denunciam a exploração, patente no volume dos lucros de grandes empresas – Altice/Meo: 566 milhões; Galp: 250 milhões; Nos: 105,5 milhões; EDP: 1147 milhões – e na recusa das mesmas em aumentar os salários. Outros cartazes centram-se nas exigências de valorização da contratação colectiva e da redução dos horários.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: