PC da Ucrânia denuncia ameaças contra o seu líder, Pyotr Simonenko

O Partido Comunista da Ucrânia (PCU) denunciou como um crime punido pelas leis em vigor no país o apelo ao assassinato do líder comunista feito por um deputado ucraniano. Um comunicado do PCU explica que, no passado dia 10, o deputado Igor Mosiychuk, do Partido Radical, ameaçou de morte o dirigente comunista Pyotr Simonenko, apelando na rede social Facebook ao seu assassinato.

Os comunistas lembram que Mosiychuk, condenado várias vezes, inclusivamente pelo envolvimento na preparação de actos terroristas em Kiev, em 2011, foi libertado por uma amnistia, no seguimento do golpe armado de Fevereiro de 2014 e da captura do poder «por um triunvirato de oligarcas, neo-nazis e criminosos».

Como membro do parlamento ucraniano, Mosiychuk «apoia activamente a militarização da Ucrânia, a continuação da guerra no Donbass, a eliminação física dos que discordam do estabelecimento de uma ditadura de tipo fascista na Ucrânia e da imposição da ideologia nazi como ideologia do Estado», lê-se no comunicado do PCU. E mais: «Ele conscientemente incita a inimizade inter-étnica e inter-religiosa e, em conjunto com os seus “irmãos” tais como o antigo vice-comandante do batalhão nazi “Azov” (em Junho de 2015, o Congresso dos EUA declarou o batalhão “Azov” como uma organização neo-nazi) é responsável pela destruição da unidade territorial da Ucrânia».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: