Breves
Insuficiências na Maia

Na última Assembleia Municipal da Maia, a CDU votou contra as propostas apresentadas pela Câmara (grandes opções do plano e orçamento), denunciando a insuficiência de financiamento definido para projectos importantes, o adiamento de obras decisivas, o desequilibro inaceitável entre as verbas transferidas para as entidades privadas e as juntas de freguesia e a falta de apoio às actividades culturais das colectividades.

Na sessão, Alfredo Maia, eleito da CDU, criticou, uma vez mais, a violação do Estatuto da Oposição, que obriga as câmaras a consultar as forças não representadas no órgão executivo.

Considerando positivo um superavit superior a 6,6 milhões de euros no orçamento do próximo ano, Alfredo Maia salientou que «não se pode desprezar o investimento necessário», por exemplo, na área social, «nomeadamente em estabelecimentos de apoio à infância e à terceira idade». «Verifica-se que o município, directamente ou por intermédio das juntas de freguesia, se demite da iniciativa, transferindo importantes verbas para entidades particulares», criticou.

Entre outras matérias, a CDU considerou «muito importante» a manutenção da verba de 1,9 milhões de euros (não definidos) para o prolongamento da linha C do Metro do Porto, entre o ISMAI (Instituto Universitário da Maia) e a Trofa, e reclamou a construção da linha entre o Hospital de S. João e o centro da Maia.


Protesto em Miranda do Corvo

Cerca de uma centena de pessoas participaram, quinta-feira, 26, numa vigília junto à Unidade de Saúde Familiar de Miranda do Corvo em defesa dos cuidados de saúde e do alargamento do horário de atendimento, que foi reduzido em Dezembro. Os utentes queixam-se da falta de metade dos médicos do corpo clínico, situação que originou a redução do horário de atendimento das 20h00 para as 17h45 e deixou cerca de cinco mil utentes sem médico de família.


Mais informação sobre IVG

O Partido Ecologista «Os Verdes» (PEV) entregou no dia 21 de Dezembro na Assembleia da República um projecto de resolução onde recomenda ao Governo que seja divulgada e continuadamente actualizada uma lista, através de uma plataforma no sítio de Internet da Direcção-Geral da Saúde, com a indicação das instituições do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que disponibilizam a consulta prévia e que realizam a interrupção voluntária da gravidez (IVG), acompanhada de todas as informações úteis, nomeadamente os contactos, a localização e o horário, por forma a evitar deslocações e a eliminar barreiras.

O documento recomenda ainda que o Governo proceda a um levantamento exaustivo sobre o acesso à consulta prévia e à realização da IVG nos centros de saúde e hospitais do SNS, para que se saiba em concreto onde não são realizados estes procedimentos e quais os motivos, com vista à criação das dividas condições com base nas necessidades evidenciadas.


Acção em Valongo

No dia 20 de Dezembro, a CDU visitou as ruas da Costa, Santa Catarina e Travessa do Lagoeiro, em Campo, a fim de perceber as condições em que se encontram. A iniciativa contou com a presença de Armando Bessa, eleito na Assembleia da União das Freguesias de Campo e Sobrado, entre outros activistas da Coligação PCP-PEV.

Em nota de imprensa, a CDU considerou «preocupante» o estado em que se encontram algumas ruas, estradas e caminhos, o que põe em causa «a mobilidade e a segurança de peões e condutores». «Buracos, falta de iluminação, asfalto a ceder, falta de segurança para peões, nomeadamente para pessoas com mobilidade reduzida e carrinhos de bebés, silvas e mato a interromper passagens, são alguns dos problemas destas ruas e caminhos de Campo», alerta a Coligação.


«Raiva» na Moita

No próximo dia 11, é exibido no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, às 21h30, o filme «Raiva», de Sérgio Tréfaut.