População sairá prejudicada com decisão do PS
Linha circular é uma má opção que vai custar 200 milhões de euros

LISBOA Sob o lema «A linha circular é uma má opção», a CDU vai realizar, dia 5 de Fevereiro, no Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, às 18h30, uma audiçãocom a participação de João Ferreira.

«Acreditamos que ainda não é tarde para travar» a Linha Circular, uma opção que «o Governo e a Câmara de Lisboa impuseram ao Metropolitano», refere a Coligação PCP-PEV, frisando que a transformação das actuais linhas Verde e Amarela numa linha circular entre o Cais do Sodré e o Campo Grande, e entre Telheiras e Odivelas, com transbordo no Campo Grande, é uma «má opção».

Esta decisão dos executivos do PS, com um custo de «mais de 200 milhões de euros do erário público», acrescenta «pouco mais do que duas novas estações» e impede a expansão da rede para Alcântara e Loures, que teria «custos inferiores».

Para os comunistas e os ecologistas, a opção tomada e já anunciada pelo Governo «desbarata recursos públicos, cuja falta é depois invocada para não se proceder à contratação dos trabalhadores em falta, para não se investir devidamente na prestação de um serviço fiável, seguro e de qualidade».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: