1578 – Batalha de Alcácer Quibir

A batalha que determinou de forma decisiva o futuro de Portugal – uma crise dinástica que levou à perda da independência, em 1580, com a subida ao trono de Filipe II de Espanha – é considerada o maior desastre militar europeu fora da Europa, sendo conhecida também por batalha dos Três Reis, já que nela participaram D. Sebastião, rei de Portugal, e os dois monarcas em disputa pelo trono de Marrocos, Mulai Abdelmalek e Mohamed Moutaouakil. Os três morreram no campo de batalha. Segundo Oliveira Marques, D. Sebastião, «se não fora rei, teria porventura sido um zeloso e violento missionário. (...) Conquistar Marrocos era a sua ambição número um, mas outros projectos de imperialismo em terras pagãs preenchiam-lhe a imaginação. Ousado até aos limites da loucura, o rei não concedia lugar ao planeamento cuidadoso, à estratégia ou à retirada». A decisão de avançar para a batalha em pleno Verão, no deserto, longe da costa, sem o apoio da marinha, parece confirmá-lo. Estima-se que morreram 8000 portugueses e 16 000 feitos prisioneiros. Conforme auto existente no Arquivo Geral de Simancas, Valladolid, o corpo de D. Sebastião foi entregue às autoridades portuguesas de Ceuta em Dezembro de 1578, sendo trasladado em 1582 para o Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: