Realidade dos media em audição do PCP

Os problemas e direitos dos jornalistas e outros trabalhadores da comunicação social, bem como as transformações no sistema mediático, estiveram em foco em recente audição pública na AR promovida pelo PCP.

A iniciativa, dirigida por uma mesa constituída por Diana Ferreira e António Filipe (deputados), e Carlos Gonçalves, da Comissão Política, contou com a participação de várias entidades e profissionais que deixaram o seu testemunho e preocupações pela realidade vivida no sector.

Abordadas foram as condições de trabalho dos jornalistas e outros profissionais, designadamente a precariedade, os baixos salários, os intensos ritmos de trabalho, as doenças profissionais, os despedimentos e a fusão das redacções e as consequências profundamente negativas daí resultantes.

Houve também espaço para reflexão sobre o desenvolvimento tecnológico, a mercantilização da notícia, as fake news, a manipulação da informação e como esta manipulação, de forma organizada, conduz à ignorância.

Falou-se ainda sobre o papel do serviço público de rádio e televisão e da agência noticiosa e da necessidade de um sector de comunicação social pluralista, democrático e responsável.

Sublinhada foi também a necessidade de combater a concentração da propriedade dos órgãos de comunicação social e o monopólio das multinacionais da fileira mediática, garantindo simultaneamente os direitos dos jornalistas e de outros profissionais do sector para o exercício das suas funções e o seu respeito pelos princípios éticos e deontológicos. Estas são linhas de acção fundamentais para garantir o pluralismo, as liberdades de imprensa, de expressão e de informação e assim defender os princípios constitucionais e a própria democracia.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: