Breves
Brasil declarado aliado dos EUA

O presidente norte-americano, Donald Trump, declarou o Brasil aliado militar estratégico dos EUA fora da NATO. Com esse passo, Washington pode aprofundar a sua cooperação militar com o Brasil, o segundo país da América Latina, depois da Argentina, a conseguir tal “privilégio”. O Brasil converte-se assim no 18.º país no mundo com esse estatuto para os EUA, o que favorece a entrega de equipamento excedente e a organização de manobras militares conjuntas, entre outras cumplicidades.


Coreia do Sul e EUA em manobras

A Coreia do Sul e os EUA iniciaram manobras militares para testar uma suposta emergência na península coreana. Os exercícios prolongam-se até 20 de Agosto e nos primeiros dias os ensaios bélicos serão limitados aos postos de comando. Um porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano, Choi Hyun Soo, informou, entretanto, que não há planos para a instalação na República da Coreia de mísseis estado-unidenses de médio alcance. Os dois países realizam anualmente exercícios militares, considerados por Pyongyang como de aberta provocação militar. A República Popular Democrática da Coreia criticou o Conselho de Segurança da ONU por não dar atenção às manobras militares de Seul e Washington.


Austrália descarta base de mísseis

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, descartou acolher uma das bases de mísseis que os EUA pretendem instalar na Ásia-Pacífico, embora admita juntar-se a uma coligação para patrulhar o estreito de Ormuz. A ministra da Defesa, Linda Reynolds, confirmou que o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, não pediu à Austrália a instalação de qualquer base militar. O governante mostrou-se favorável a instalar mísseis estado-unidenses na Ásia. O secretário de Estado Mike Pompeo também pediu apoio da Austrália para a política externa de Washington. Aliados estratégicos de Canberra, os EUA têm 2500 fuzileiros baseados na cidade australiana de Darwin.