Breves
Câmara Municipal encerra jardins de infância de Sande

«Um acto cobarde e prepotente.» É desta forma que a Comissão Interconcelhia Lamego-Tarouca do PCP caracteriza a decisão da Câmara Municipal de Lamego de encerrar os jardins de infância da freguesia de Sande, decisão tomada, acusa o Partido, «à revelia de tudo e de todos, numa maquinação entre o executivo municipal e a direção do centro escolar», sem sequer informar juntas de freguesia, pais e professores. Ao retirar os referidos jardins de infância da rede escolar, as crianças – que os pais julgavam estar inscritas nos estabelecimentos de ensino das suas localidades – foram transferidas para turmas no centro escolar de Lamego. Para o PCP, está em causa uma «afronta à liberdade de escolha e falta de respeito pelo serviço público de ensino».

O Partido recorda, a este propósito, a «vitoriosa luta da população da freguesia de Sande, que impediu o encerramento do Jardim de Infância da localidade», faz agora um ano. Já então o presidente da Câmara Municipal de Lamego, com a conivência da direcção dos grandes agrupamentos escolares, desencadeou um processo que tinha como objectivo levar ao encerramento de escolas em seis freguesias. Nessa ocasião, o PCP subscreveu na Assembleia Municipal uma recomendação ao executivo municipal para que não encerrasse os Jardins de Infância, aprovada por maioria e acompanhada por uma petição com mais de 1300 assinaturas.


Areia não chega na EN 327

O PCP continua a insistir na urgência de levar a cabo obras de requalificação na EN 327, via estruturante da freguesia de São João, em Ovar. Numa nota recente da Comissão de Freguesia, o Partido reafirma a necessidade de melhorar as condições da estrada, nomeadamente no que respeita à segurança e funcionalidade para peões e automóveis e recorda o abaixo-assinado por si dinamizado contendo precisamente essas exigências. Para os comunistas, as obras em curso mantêm «problemas estruturais que importa corrigir, causando transtornos diários aos utilizadores daquela via».

Para o PCP, é necessário repor as tampas de saneamento, «que se encontram soltas causando ruídos muito incomodativos de dia e especialmente de noite, durante as horas de sono da população», e resolver os problemas das passadeiras desniveladas, que o uso tornou «demasiado côncavas e incomodativas para quem circula, com saltos desnecessários e danos nas viaturas». Estas rectificações, aliás, foram já solicitadas por diversas vezes aos órgãos competentes, mas a solução encontrada «parece ter-se limitado, infelizmente, a espalhar areia nas lombas», acusa o Partido.