Aconteu
Faleceu o comandante Vasco da Costa Santos

Aos 99 anos, faleceu o comandante Vasco da Costa Santos, um homem íntegro, de convicções fortes, lutador antifascista, o que lhe valeu estar preso, em instalações militares, 15 meses.

Em Março de 1962 é passado compulsivamente à situação de reforma através de decreto assinado por Salazar. Foi activo participante na Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos e em diversas acções de luta pela liberdade e a democracia.

Após a Revolução de Abril foi reintegrado, sendo nomeado pelo Conselho da Revolução para integrar o órgão directivo da Casa das Pescas. Em Junho de 1975 é nomeado Comandante Naval do Continente. Em resultado do golpe de 25 de Novembro foi preso e posteriormente passado à reserva em Dezembro de 1976.

Sempre preocupado com a evolução de Portugal e do Mundo, abraçou as causas da paz e do desarmamento e nunca abandonou o campo da luta consequente contra a exploração, em defesa dos trabalhadores, de um Portugal soberano.

Anteontem, 3 de Setembro, o Secretário-geral do PCP endereçou «os mais sentidos pêsames» à família do comandante. Vasco da Costa Santos «permanecerá na nossa memória como um homem íntegro, de carácter, fortes convicções, sempre em defesa dos mais fracos e oprimidos», lê-se na carta, que destaca o «homem que abraçou a causa da luta pela liberdade e a democracia, de cuja Revolução de Abril, que este ano comemora o seu 45.º aniversário, ele foi obreiro».



Partículas ultrafinas dos aviões afectam o ar de Lisboa

Segundo um estudo publicado na revista científica «Atmospheric Pollution Research», desenvolvido no departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e no Centro de Investigação em Ambiente e Sustentabilidade, a qualidade do ar na zona do aeroporto de Lisboa é fortemente afectada por partículas ultrafinas emitidas pelos aviões, que podem pôr em risco a saúde.

À Lusa, Margarida Lopes, responsável pelo estudo, salientou que as partículas ultrafinas, segundo as mais recentes evidências, são mais tóxicas do que outras partículas a que os seres humanos são sujeitos. «São bastante prejudiciais para os pulmões, mas não só, porque passam para a corrente sanguínea e daí chegam a qualquer parte do corpo», explicou.


Homenagear o livro e a leitura

Os escritores Mário Cláudio e Fernando Namora, este a título póstumo, e o editor Zeferino Coelho foram distinguidos pelo Presidente da República (PR), no passado dia 29. As condecorações foram atribuídas no começo da quarta edição da Festa do Livro em Belém, uma iniciativa promovida por Marcelo Rebelo de Sousa para promover o livro e a leitura.

Mário Cláudio recebeu a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique e Zeferino Coelho a Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique. A Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, atribuída a título póstumo a Fernando Namora, foi entregue à filha do escritor, Margarida Namora.

Marcelo Rebelo de Sousa distinguiu também o ensaísta e crítico literário Eugénio Lisboa, autor de prosa e poesia, especialista na obra de José Régio e antigo presidente da Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, como comendador da Ordem Militar de Sant’Iago de Espada, e o antigo presidente da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, João Amaral.


Jorge Fonseca é campeão mundial de Judo

O português Jorge Fonseca, 26 anos, conquistou, no dia 30 de Agosto, o título mundial de judo na categoria de -100 kg, ao vencer o russo Niyaz Ilyasov na final da competição, disputada em Tóquio.

O judoca do Sporting, que nasceu em São Tomé e Príncipe, chegou ao combate decisivo ao derrotar azeri Elmar Gasimov, vice-campeão olímpico no Rio2016 e europeu em 2014, nas meias-finais, por waza-ari, depois de ter superado, nos quartos de final, o georgiano Varlam Liparteliani, por ippon, em 3.15 minutos. Antes, já tinha derrotado o chileno Thomas Briceno, o indiano Avtar Singh e o irlandês Benjamin Fletcher.

Ao munícipe do concelho da Amadora, a CDU endereçou felicitações e recordou que Jorge Fonseca é «um produto da escola pública, onde deu os primeiros passos no judo», assumiu «responsabilidades parentais ainda muito jovem» e lutou «contra a doença» (tumor na perna), o que «só acrescenta valor ao seu feito».

Por tudo isto, e porque será, com certeza, «um exemplo para muitos jovens» que «conhecem também as adversidades da vida», a Coligação PCP-PEV «junta-se a todos quantos, nesta hora, lhe dão os parabéns» e deseja a Jorge Fonseca «uma vida repleta de sucessos, tanto na sua vida desportiva, como na familiar e pessoal».

No dia 29 de Agosto, Bárbara Timo – nascida no Rio de Janeiro e naturalizada portuguesa em Janeiro deste ano – arrecadou a medalha de prata em – 70 kg.


Paris inaugura rua Helena Vieira da Silva

O nome da pintora portuguesa Helena Vieira da Silva foi atribuído, no sábado, por Paris a uma rua da cidade, relembrando o seu papel nos meios artísticos dos dois países e abrindo a porta a uma grande retrospectiva da artista na capital francesa.

Maria Vieira da Silva viveu em Paris a maior parte da sua vida, tendo-se estabelecido no 14.º bairro a partir de 1938 com o marido, Arpad Szenes. A inauguração oficial faz parte da requalificação de uma das zonas deste bairro da margem esquerda do Sena.



Resumo da Semana
Frases