«O voto na CDU é a sólida garantia de que nenhum voto é desperdiçado nem traído»
CDU avança com força no distrito do Porto

PROPOSTA Jerónimo de Sousa rumou, domingo, ao distrito do Porto para participar em três iniciativas: a apresentação, na Cooperativa Árvore, de 30 medidas urgentes para o País, um grande almoço em Gondomar e uma visita à Agrosemana – Feira Agrícola do Norte, na Póvoa de Varzim.

Na primeira acção do dia, o Secretário-geral do PCP apresentou um conjunto de medidas urgentes e muito concretas, que, realçou, permitirão «avançar na resolução de inadiáveis e importantes problemas e que há muito exigiam ser consideradas». Estas medidas (que publicamos na íntegra nas páginas seguintes) foram apresentadas nas instalações da Cooperativa Árvore, perto do Jardim da Cordoaria, com a presença de largas dezenas de pessoas. Para além de incluírem soluções novas, muitas dessas medidas foram «já apresentadas pelo PCP» e «recusadas pelo Governo, em convergência com o PSD e CDS», lamentou o Secretário-geral.

Em seguida, na Escola Secundária de São Pedro da Cova, em Gondomar, realizou-se um grande almoço em que participaram cerca de 500 activistas e apoiantes da CDU. No final, intervieram Diana Ferreira, primeira candidata da coligação PCP-PEV pelo círculo eleitoral do Porto, e Jerónimo de Sousa.

Uma intervenção
longa e qualificada

Diana Ferreira fez um oportuno exercício de memória: «Podem ter a certeza que não deixaremos cair no esquecimento o que PSD e CDS fizeram nos últimos quatro anos em que foram governo», avisou, enumerando algumas das consequências, como o roubo nos salários, pensões e prestações sociais, o brutal aumento de impostos, a lei dos despejos, o encerramento de serviços públicos e a extinção de freguesias.

A candidata e actual deputada referiu-seainda a alguns processos de luta em defesa do ambiente que a CDU tem desenvolvido ao longo dos anos no distrito, advertindo que «há quem ande pendurado em ondas mediáticas de protagonismos vãos e que apareça como percursor de medidas que a CDU defende e propõe há anos». Exemplo disto foi a luta travada durante anos em São Pedro da Cova pela análise da toxicidade dos resíduos lá depositados e pela sua remoção. «Nunca deixámos de lutar para que fossem removidos os resíduos e não desistiremos até que todos os resíduos sejam integralmente removidos e que toda a zona seja requalificada, garantindo a devida compensação à população», afirmou Diana Ferreira.

Vale a pena lutar

Jerónimo de Sousa, por sua vez, salientou que todas as lutas, por mais longas e difíceis que pareçam, valem sempre a pena ser travadas. Foi o caso do passe único, proposto pela CDU há 20 anos: «os passes sociais intermodais eram uma coisa que parecia impossível de alcançar. Persistimos, demonstrámos e fundamentámos que era possível realizar esses avanços em relação ao aumento da capacidade de mobilidade das populações», valorizou o Secretário-geral.

O dirigente comunista dirigiu ainda duras críticas ao PS, que, garante,«não mudou».Na verdade, e «em relação a matérias de fundo como os direitos dos trabalhadores, o PS não se liberta da sua política de direita, ao fazer aprovar alterações profundamente gravosas para os trabalhadores e particularmente para futuras gerações de trabalhadores».

«Nós não temos uma comunicação social a nosso favor, nós não temos a cobertura que eles têm, sabemos disso. Mas temos uma maior riqueza que sois vós, capazes de encontrar forças onde muitas vezes parece que não existem», terminouJerónimo de Sousa, dirigindo-se à imensa e entusiasmada plateia que o escutava.

Portugal precisa de mais
e melhor produção

Durante a tarde, uma comitiva composta por Jerónimo de Sousa, candidatos da CDU às próximas eleições pelo círculo eleitoral do Porto e dirigentes regionais do Partido visitaram a Agrosemana – Feira Agrícola do Norte, na Póvoa de Varzim. Com a sua presença, o PCP pretendeu valorizar a produção nacional, eixo central da política alternativa e, claro, do seu Programa Eleitoral às legislativas de Outubro.

Em declarações aos jornalistas presentes, o Secretário-geral afirmou que «a necessidade do aumento da produção nacional é uma questão central que se coloca nos dias de hoje» e que «um País que não produz não é um País com futuro». Jerónimo de Sousa relembrou que Portugal é um País com possibilidades e condições e que não há desculpas para a particular falta de investimento no sector agrícola e produtor verificada nos últimos. O dirigente comunista recordou, a terminar, a contribuição positiva do PCP nas últimas legislaturas, com diversas propostas de apoio ao sector.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: